Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 26.07.15

 

O Senhor é o meu pastor; nada me faltará (Salmos 23.1).

O Salmo 23 é conhecido por pessoas no mundo todo. Sua mensagem tem abençoado aqueles que se encontram aflitos, desencorajadas, desprovidos de ânimo e sem forças para reagir. Quando Deus ordenou ao profeta Samuel que ungisse Davi como rei de Israel (1 Samuel 16.11-13), este estava no campo, apascentando as ovelhas. Davi sabia que um bom pastor é amoroso, cuidadoso, zeloso e conhecia a dependência das ovelhas, as suas limitações e necessidades. No Salmo 23 Davi se coloca em posição de ovelha, dependente, limitado e carente. Ele sabe que só o Senhor pode cuidar dele com amor e zelo incomparáveis. Esse importante Salmo nos ensina grandiosas bênçãos que veremos a seguir:

O Senhor é o meu pastor; nada me faltará (v 1). O nosso pastor é um Deus divino, onipotente, onisciente e onipresente. É o Deus da aliança, o Deus de toda graça, o nosso Criador, sustentador e Salvador e que tem conosco uma relação pessoal – ele é o meu pastor. Ele nos conhece e nos chama pelo nome, cuida de nós e supre as nossas necessidades (Filipenses 4.19).

Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso (v 2). Devido à sua timidez e medo, as ovelhas só conseguem repousar, relaxar e deitar-se, se estiverem muito tranquilas. O stress do dia a dia tem roubado a nossa paz. O Senhor não apenas nos dá o que necessitamos, mas ele mesmo nos conduz às suas fontes de provisão, as fontes da água da vida (Apocalipse 7.17), fazendo-nos descansar.

Refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome (v 3). Por causa da pouca visão, as ovelhas, sozinhas, não encontram o caminho certo nem a pastagem boa. Se fôssemos abandonados à nossa própria sorte, certamente andaríamos por caminhos errados cometendo vários desvios e pecados. Contudo, o nosso pastor nos guia pelas veredas da justiça.

Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam (v 4). A ovelha se sente protegida pelo bordão e pelo cajado que o pastor carrega. São instrumentos que o pastor usa para defender, corrigir, conduzir a sua ovelha. Na caminhada da vida há muitos perigos, cruzamos muitas vezes por desertos e vales escuros, porém, mesmo quando andamos pelo vale da sombra da morte, não precisamos temer mal algum, porque o nosso pastor está conosco e nos consola.

Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda (v 5). Depois que as ovelhas passam pelo vale sombrio e escuro, elas são levadas para as regiões altas das montanhas, para as melhores pastagens. O nosso pastor não apenas caminha conosco diante das dificuldades, mas nos dá vitória contra os inimigos. Ele prepara uma mesa, nos honra ungindo nossa cabeça com óleo, e nos dá alegria abundante, fazendo o nosso cálice transbordar.

Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre (v 6). Bondade e misericórdia são duas coisas que nós não merecemos, mas Deus nos dá. O Senhor nos dá graça quando merecíamos juízo, e nos abençoa quando merecíamos ser punidos. Davi sabia que nada poderia separá-lo do amor de Deus. A morte não pode nos separar do nosso pastor. Ele preparou um lugar, uma casa, um lar (João 14.1-3) para aqueles que o aceitam, para aqueles que o recebem, para os que o obedecem e o amam.

O Salmo 23 é real, ele não somente é um poema-canção de Davi, ele é para você e eu vivenciarmos a cada dia. Como ovelhas, estaremos para sempre com o nosso pastor, desfrutando da sua bendita companhia. Jesus disse: Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem (João 10.14 – NVI). Quão abençoadas são as ovelhas do bom pastor.

Rev. Juliano Ciccilli