Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 12.06.16

Bem-aventurado o povo que conhece os vivas de júbilo, que anda, ó Senhor, na luz da tua presença
(Salmos 89.15).

O feliz faz barulho de alegria ou o barulho de alegria traz felicidade? É claro que sabemos que uma pessoa muito feliz faz muito barulho de alegria: grita, pula, vibra. Mas o salmista está dizendo que os vivas de júbilo trazem felicidade. Como isso é possível? Para entender a profundidade da expressão poética é necessário entender algumas dimensões bíblicas dos vivas de júbilo desses sons de profunda alegria.

Vivas de júbilo de um exército vitorioso. Imagine o grande som de um exército que derrotou seus inimigos: as armas de metal batendo, os pés fazendo o chão tremer, os bramidos fortes e urros intensos sincronizados com uma marcha de quem avança destemido e triunfante. Imagine muito além: que todo esse barulho, todo esse estrondo é feito pelos exércitos celestiais do Deus vivo. Esse é o som dos vivas de júbilo que trazem incomensurável felicidade, pois são sons que anunciam a presença de Deus na guerra. Preste atenção no que o Senhor disse a Davi: E Davi consultou ao Senhor, o qual disse: Não subirás; mas rodeia por detrás deles, e virás a eles por defronte das amoreiras. E há de ser que, ouvindo tu um estrondo de marcha pelas copas das amoreiras, então te apressarás, porque o Senhor saiu então diante de ti, a ferir o arraial dos filisteus (2 Samuel 5.23-24 - RC). Esse estrondo é o barulho dos exércitos celestiais em defesa do seu povo. Aleluia!

Vivas de júbilo de quem recebe carta de alforria. Após o sábado dos sábados - ou seja, sete períodos de sete anos - o quinquagésimo ano deveria ser o ano do Jubileu. Quando chegasse essa época, haveria um soar das trombetas (a palavra jubileu significa “o soar (alarido) das trombetas”). Então, no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta vibrante; no Dia da Expiação, fareis passar a trombeta por toda a vossa terra (Levítico 25.9). O clamor das trombetas podia ser ouvido em cada cidade, aldeia, vilarejo, montanha e vale. Todo israelita sabia o significado do som. Ele anunciava uma incrível bênção de liberdade e livramento - por decreto do Senhor! Diz a palavra: Santificareis o ano quinquagésimo e proclamareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família (Levítico 25.10). O som das trombetas cancelava todos os débitos, restaurava todos os bens aos proprietários originais e libertava todos os servos de qualquer forma de cativeiro e escravidão! Desnecessário dizer que o soar da trombeta era viva de júbilo para todo escravo, prisioneiro ou pessoa desprivilegiada na terra, sinalizando o fim de toda escravidão e um novo recomeçar da vida.

Vivas de júbilo da presença do Senhor. Sabe o que acontece na presença do Senhor, segundo o livro de Salmos? Os céus se alegram e proclamam sua glória, a terra exulta e anuncia as obras de suas mãos, o mar ruge, o campo se alegra, os rios batem palmas, as ilhas se alegram, os montes cantam de júbilo e se derretem, um dia discursa a outro dia, uma noite revela conhecimento a outra noite, os relâmpagos brilham com força, há cânticos, harpas, trombetas, som de buzinas, saltérios louvando, adufes, danças, instrumentos de cordas, flautas, címbalos sonoros e retumbantes. Na presença do Senhor só há festa e grande celebração, santo barulho, santa alegria, santa festa. Por isso: Batei palmas, todos os povos; celebrai a Deus com vozes de júbilo (Salmos 47.1). Só participa da festa quem é bem-aventurado. Só é bem-aventurado aquele que participa da festa.

Cristianismo sem alegria é contradição, pois a alegria faz parte do caráter de Deus (Romanos 14.17). Mais ainda, a alegria é marca da soberania de Deus (Salmos 115.3). Mesmo diante da cruz, a alegria nunca deixou o coração de Deus (Isaías 53.11; Hebreus 12.2). Buscar alegria faz parte da natureza humana, pois Deus nos fez à sua imagem e semelhança. Nosso coração inclina-se nessa busca, pois Deus nos fez assim. A Bíblia ordena que nos alegremos sempre no Senhor (Filipenses 4.4), pois na presença do Senhor há plenitude de alegria (Salmos 16.11) e a alegria do Senhor é a nossa força (Neemias 8.10), mesmo diante de provações (Tiago 1.2).

Nada melhor do que celebrarmos a alegria da nossa salvação. Bem-aventurado aquele que conhece e reconhece os vivas de júbilo.

Rev. Rodolfo Garcia Montosa