Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 22.05.15


Tenho-vos mostrado em tudo que, traba­lhando assim, é mister socorrer os necessita­dos e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que rece­ber (Atos 20.35).
 

Mesmo não atribuindo isto ao reino de Deus, muito menos às palavras de Jesus, o fato é que alguns bilionários descobriram a alegria de doar grande parte de suas fortu­nas a causas sociais. O Giving Pledge (“Com­promisso de Doação”, em tradução livre) en­cabeçado por Bill Gates e Warren Buffett, que estão na lista dos mais ricos do mundo, convida bilionários a doarem a maioria de sua fortuna para causas de caridade, seja isso em vida ou depois de morrer. A causa tem conseguido arrebatar um número cada vez maior de pessoas que possuem muito mais dinheiro do que precisariam para viver. Nas palavras do falecido Steve Jobs, con­vertido à causa: “Bill Gates descobriu que o maior objetivo não é ser o cara mais rico no cemitério”. Ao todo já são quase uma cente­na de bilionários que se comprometeram a doar mais da metade de seu dinheiro, mui­tos bilhões e bilhões de dólares.

Mesmo sem saber, estão vivendo a es­sência da ética cristã. Encontramos na so­ciedade pelo menos quatro grandes ma­neiras diferentes de procedimentos nas relações humanas. Algumas pessoas pen­sam assim: “O que é meu é meu e o que é seu é meu”. Esse é o pior tipo de iniquidade de onde nasce o ditador e o opressor. Ou­tras pessoas pensam assim: “O que é meu é meu e o que é seu é seu”. Esse pensa­mento domina a maior parte da sociedade e dá base ao comportamento individualis­ta e egoísta. O capitalismo tem muito dele. Já outras poucas pessoas pensam assim: “O que é seu é meu e o que é meu é seu”. Essa é a base do discurso comunista, mas a his­tória demonstrou que nunca funcionou lite­ralmente, pois torna-se confuso e indistinto. Na prática tornou-se um sistema regido por ditadores. O último grupo pensa assim: “O que é seu é seu e o que é meu é seu”. Esse grupo respeita o recurso do outro e coloca à disposição por sua deliberada vontade seus recursos próprios. Aqui está o fundamento da ética cristã.

Jesus falou há muitos anos: É mais feliz quem dá do que quem recebe (Atos 20.35 – NTLH). Jesus faz uma poderosa síntese de um ensino para todo aquele que deseja ser feliz ou bem-aventurado. Mas, por que é mais feliz quem dá? Por que é melhor do que receber?

É mais feliz quem dá porque dá somente quem tem. Não é possível dar o que não se tem. Quando um avião está em perigo e as máscaras de oxigênio caem, somente poderá ajudar o outro aquele que está respirando. Quando há fome, somente poderá comparti­lhar aquele que tem comida na mesa. Quan­do há enfermidade, somente poderá cuidar aquele que tem saúde. Quando há tristeza, somente poderá levar consolo aquele que está em paz. Quando há ignorância, somen­te poderá compartilhar aquele que tem sa­bedoria.

Torna-se infeliz quem tem e não dá. As águas do Mar Morto não têm saída. Por essa razão, devido à elevada temperatura, elas evaporam, deixando uma grande concen­tração de sal depositada. Sua salinidade é a mais elevada da terra, sendo dez vezes su­perior aos demais oceanos. Qualquer peixe que seja transportado pelo Rio Jordão mor­re imediatamente, assim que deságua nes­se lago de água salgada. Moral: quando não há saída, a vida não se sustenta.

É mais feliz quem dá porque habilita-se a receber mais. Quem dá, torna-se confiá­vel para receber mais. Do seu interior fluirão rios de água viva (João 7.38). Isso mesmo, fluirão, e não ficarão parados, rios e não um Mar Morto. Este é o princípio do reino de Deus ensinado por Jesus: Dai, e dar-se-vos­-á; boa medida, recalcada, sacudida, trans­bordante, generosamente vos darão (Lucas 6.38). Em outra tradução: Deem aos outros, e Deus dará a vocês. Ele será generoso, e as bênçãos que ele lhes dará serão tantas, que vocês não poderão segurá-las nas suas mãos (NTLH).

Para uma vida mais feliz, mais bem-aven­turada, precisamos aprender esse princípio do reino de Deus. Como revelou o salmis­ta: Bem-aventurado o que acode ao neces­sitado; o Senhor o livra no dia do mal (Salmos 41.1). Como disse Jesus, com outras pala­vras: Mas, quando fizeres convite, chama os pobres, aleijados, mancos e cegos, e serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos justos (Lucas 14.13-14).

É preciso saber dar. Dar de maneira que a pessoa que recebe não se sinta ferida na sua dignidade. Dar sem cobrar algo em tro­ca. Dar da despensa e não do lixo. Dar do tempo. Dar um ombro amigo. Dar as mãos para sustentar. Dar dos recursos que temos.

E aí, quer realmente ser feliz? Aprenda a dar!

Rev. Rodolfo Garcia Montosa