Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 19.04.15


Sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo, conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo, porém manifestado no fim dos tempos, por amor de vós (1 Pedro 1.18-20).


Todas as vezes que vamos ouvir uma história nosso coração se enche de expectativa. Normalmente ela começa com a expressão: “Era uma vez...”. Queremos logo saber como e quando tudo começou, o desenrolar dos fatos e claro, qual o seu desfecho.

Era uma vez o Deus Criador de todas as coisas visíveis e invisíveis, pleno em amor, graça e bondade. Desde a eternidade, nos seus planos, havia uma cruz, a cruz de seu Filho Jesus Cristo. Esta história não começou apenas há cerca de 2000 anos. Segundo o apóstolo Pedro, o sacrifício de Jesus na cruz foi conhecido, com efeito, antes da fundação do mundo. O Rev. Hernandes Dias Lopes afirma: “A cruz de Cristo é pré-histórica. Ela estava incrustada no coração de Deus antes da fundação do mundo”.

A história da cruz estava presente no cordeiro providenciado no altar para Abraão (Gênesis 22.13), no cordeiro sacrificado e o sangue aspergido sobre as casas do povo de Israel na Páscoa (Êxodo 12.5-7), na serpente de bronze levantada por Moisés no deserto (Números 21.9), no tecido vermelho na janela de Raabe (Josué 2.18), e em muitas outras passagens da Palavra de Deus.

Sabemos também que cada pessoa que ouve uma história tira para si suas próprias aplicações, conclusões e verdades. Não é diferente com a história da cruz. Assim, precisamos refletir como esta história nos afeta.

A história da cruz pode causar resistência. Em Mateus 16.21-22 lemos: ... e Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá. O apóstolo Pedro “resistiu” à ideia da cruz, era bom andar e estar com Jesus, mas quando a proposta foi a cruz houve resistência.

A história da cruz pode causar indiferença. Em Lucas 22.44-45 lemos: ... Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos, e os achou dormindo de tristeza. O sofrimento de Jesus no Getsêmani é a antessala da cruz. Os discípulos de Jesus, ao dormirem, mostraram-se indiferentes a ela.

A história da cruz pode causar uma linda experiência. Em 1 Coríntios 1.18 lemos: “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus”. Para muitos esta história continua sendo loucura, mas ela é, e somente ela, é, de fato, poder de Deus para nos salvar do pecado e nos levar de volta à comunhão com Deus.

E para nós, o que significa a história da cruz? Podemos estar resistentes ou mesmo indiferentes. Mas se hoje nos abrirmos para esta “loucura” de história, preparada amorosamente para nós, antes da fundação do mundo, vamos experimentar o poder de Deus em nossa vida.

Rev. Pedro Leal Junior