Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 31.08.14


2 Coríntios 9.6-15


Estamos encerrando a série de mensagens com o tema “Mantendo a chama acesa”. Foi um mês muito especial onde experimentamos um renovar de Deus em várias áreas de nossa vida, e isso tem gerado muita alegria em nosso meio. Lembrando que “Sem lenha, o fogo se apaga” (Provérbios 26.20).

Para continuarmos a experimentar esse fogo de Deus em nossa vida e, também, para participarmos da expansão desse fogo de Deus em muitos outros lugares, é que falaremos hoje sobre a lenha da contribuição.

Chamo a atenção para a palavra alegria. Contribuir generosamente só faz sentido se for com alegria; e a alegria de experimentar mais de Deus, necessariamente, faz com que contribuamos generosamente. Assim, a lenha da contribuição acende em nossa vida:


1.A alegria de quem dá

Parece contraditório falar em alegria e dar. Desde muito pequeno somos inclinados para receber. Entre as primeiras palavras que pronunciamos é “dá” e “meu”. De fato somos insaciáveis no querer ter, sempre haverá algo que precisaremos, o mundo é perito em criar necessidades para nós (celular, carros, roupas etc.). Mas quando olhamos para a Palavra de Deus e, especialmente, para a vida de Jesus vemos que os valores do reino de Deus são diretamente inversos aos nossos.

Em Jesus percebemos o maior exemplo do que é dar. Ele não teve nada por precioso em sua vida aos seus olhos, ele foi tão desprendido a ponto de dar sua própria vida. Paulo nos exorta a termos o mesmo sentimento que Cristo teve (Filipenses 2.5-11). Ele deixou sua glória, esvaziou-se e deu o que tinha de melhor. Em João 10.18 Jesus afirma que ninguém tirou sua vida, mas ele, espontaneamente, a deu, por amor a nós. Segundo Asaph Borba é possível dar sem amar, mas é impossível amar sem dar, Deus amou e deu. Em Atos 20.35, o evangelista Lucas registra uma fala de Paulo dirigida à igreja em Éfeso, em que ele cita Jesus: “Mais bem-aventurado é dar que receber”.

Que loucura a pregação de Jesus! O mundo diz que precisamos ganhar mais, ter mais, levar vantagens maiores, acumular mais. Jesus diz que melhor é dar do que receber, que é muito mais feliz quem dá, do que quem recebe. Temos experimentado a alegria de quem dá?


2.A alegria de quem recebe

É claro que a alegria de quem dá, em primeiro lugar, é pelo fato de ter o que dar. Mas a alegria de quem dá acontece também quando percebemos a alegria de quem recebe. Vejam o destaque do v. 12: “Porque o serviço desta assistência não só supre a necessidade dos santos”.

Como diz a propaganda, “Não tem preço”. Não tem preço ver a alegria de quem está com fome receber uma cesta básica, não tem preço ver uma pessoa tomando um remédio quando sua dor é intensa, ver uma blusa aquecendo quem estava nu, um sapato protegendo quem estava descalço, um teto cobrindo quem estava desamparado. Isso é tão forte para Jesus que ele disse: Quando fizeste a um destes meus pequeninos, a mim o fizeste (Mateus 25.40).

Ao visitar os campos missionários pudemos ouvir da Delci, em Moçambique, “Pastor, o senhor veio, muito obrigada”; do Pr. Alfredo: “agradeça à igreja brasileira por sustentar esta obra e minha família”; da Nájua, na Albânia, “não sabemos como agradecer vocês por tão grande generosidade” e muito mais.

Já tive o privilégio de ter sido ajudado quando, com alguma necessidade, uma oferta que chegou na hora mais crítica da nossa caminhada. Fica evidente que foi a mão de Deus que agiu, e você se sente muito amado por ele, literalmente, a última bolacha do pacote, seu coração explode de alegria. A alegria de quem recebe redundará em muitas graças a Deus (v 12).

Saiba hoje que muitas pessoas estão alegres por receberem o que de nós tem sido enviado.


3.A alegria de Deus

Se há alegria em quem dá e em quem recebe, imagino o coração de Deus como fica quando esse processo é realizado aqui na terra. Fomos criados para a glória de Deus e para desfrutar de sua presença. O v 13 afirma que Deus é glorificado “pela liberalidade com que contribuís”.

Quando retemos nossas sementes, deixamos de colher mais, pois esse é princípio espiritual que Deus estabeleceu para nós. Deus tem prazer em aumentar nossas colheitas e encher nossos celeiros. Imagino Deus dando ordens a nosso respeito: “Derramem mais no celeiro deste e daquele porque estão dando liberalmente, encha mais aqueles depósitos para que minhas sementes possam chegar a todos que precisam”. Agora, se ao olhar para nossos celeiros e ver que as portas de saída estão fechadas, não haverá motivo para recebermos mais do Senhor. A alegria de Deus é completa quando você e eu nos voltamos para o próximo, quando nos tornamos canais por meio do quais seu nome será engrandecido. Ele “suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade...” (vv 10-11).

Para Jesus isso é tão significativo que ele mesmo disse aos que foram fiéis no uso dos recursos que receberam: “Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor” (Mateus 25.21).


Conclusão

A lenha da contribuição mantém a chama de Deus acesa em nossos corações. Nossa conferência missionária está chegando, você terá uma linda oportunidade para ver a alegria dos que recebem, mas também de experimentar a alegria de quem dá. O princípio espiritual de Deus está resumido em “dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão” (Lucas 6.38). Que seja assim em nossa vida. Um amor e cuidado “exagerados”.

 

Rev. Pedro Leal Junior