Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 03.08.14


Marcos 12.28-30

No mês de agosto vamos caminhar pela série de mensagens com o tema “Mantendo a chama acesa”. Iniciaremos a campanha de jejum e oração de 21 dias com o mesmo tema. O livro de Provérbios nos ensina que “Sem lenha, o fogo se apaga...” (Provérbios 26.20), assim, para que a chama de Deus se mantenha acesa em nós, é necessário cuidar de algumas “lenhas”. A primeira delas é a lenha do amor a Deus.

Para compreendermos mais sobre o amor a Deus precisamos responder algumas perguntas:


1.O que deve ser feito?

Quando Jesus foi indagado sobre o que era mais importante para fazermos no reino de Deus, ou qual o principal mandamento, ele, prontamente, ensinou que nada é mais importante do que amar a Deus.

Pense: O que é importante para nós? Do que gostamos muito? Alguns gostam muito de comida, outros de esporte, quem sabe de música ou mesmo pessoas. Quando Deus está em primeiro lugar, nossa família entra em harmonia, pois ele irá dirigir nossos relacionamentos, nossa profissão será conduzida pelo melhor sócio que se poderia ter (majoritário), nosso ministério será frutífero, pois Deus estará à frente e dará toda direção.

Este mandamento é para nossa proteção, Deus sabe que se algo em nossa vida estiver antes dele, se tornará o nosso deus. Por isso ele alerta “Não terá outros deuses diante de mim” (Êxodo 20.3).

Alguém já disse que a coisa mais importante na vida é fazer com que a coisa mais importante na vida seja de fato a coisa mais importante na vida. Nós fazemos aquilo que valorizamos.


2.Como deve ser feito?

Amar a Deus não é algo que possa ser feito de qualquer maneira. É necessário destacarmos as palavras “TODO” e “TODA”.

Todo coração - Aqui a palavra coração expressa a sede dos sentimentos e da motivação.  Deus não aceita coração dividido. A Bíblia fala de corações endurecidos (Êxodo 9.12), obstinados (Deuteronômio 2.30), feitos diamantes para Deus (Zacarias 7.12) para com Deus. Mas a Bíblia fala também de corações quebrantados, dispostos e entregues a Deus. Em Jr. 17.10 está escrito: “Eu, o Senhor, esquadrinho o coração...”, o salmista orou pedindo para Deus sondar seu coração (32), os discípulos no caminho de Emaús disseram que o coração deles ardia na presença de Jesus: “Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?” (Lucas 24.32). Que hoje Deus incendeie o nosso coração.

Toda alma - A alma fala para nós da nossa vontade, das decisões e atitudes que tomamos com relação a Deus. Segundo Dr. Shedd Deus nos pede a vitalidade e o tempo integrais. Um coração totalmente entregue a Deus fará com que nossa vontade seja sujeita a ele com alegria e leveza. O salmista teve uma conversa muito particular com sua alma e perguntou-lhe porque ela estava abatida (Salmos 42.5). Algumas vezes nossa alma não irá desejar amar e adorar a Deus, muitas vezes ela estará sobrecarregada com os cuidados deste mundo e, às vezes, decepcionada. Por isso Jesus nos convida para irmos até ele e encontraremos descanso para nossa alma (Mateus 11.28).

Todo entendimento – é a nossa inteligência mesmo. Precisamos conhecer a quem nós devemos amar. Por isso a importância do discipulado e de estudarmos a sua Palavra.

Toda força – Um resumo de tudo. Nossa vontade e nosso esforço. Agostinho declarou: “Ama a Deus e fazes o que queres”, porque o amor a Deus purifica as intenções.

Nosso amor deve ser dado somente a Deus e totalmente a Deus.


3.Por que deve ser feito?

Devemos amar a Deus porque ele nos amou primeiro (1 João 4.19). Mas você e eu não devemos amá-lo como se não houvesse outra opção. O mundo oferece muitas coisas “boas” para amar e muitos são seduzidos pelos prazeres que ele oferece. Jesus mesmo falou sobre isso na parábola do semeador. Contou-nos a parábola do homem rico que desejou desfrutar de tudo o que produziu, armazenando em grandes celeiros. Ele usa essas expressões: “Descansa, come, bebe e regala-te” (Lucas 12.13-21), ou seja, desfruta das coisas boas. Mas naquela mesma noite Deus lhe disse: “Louco, esta noite te pedirão a tua alma” (v 20).

Aliás, só podemos amá-lo porque fomos amados. Deus nos amou com tanta intensidade a ponto de se tornar como nós e se entregar por nós. O amor de Deus nos constrange. Nosso amor a Deus é apenas uma resposta do amor Dele por nós. Em João 3.16 compreendemos esse grande amor:

Porque – maior causa – Deus – maior ser – Amou – maior sentimento e maior atitude – O mundo – maior grupo – De tal maneira – maior intensidade Que deu – maior ato – Seu filho unigênito - maior dádiva/presente – Para que todo aquele que nele – maior oportunidade – Crê – maior simplicidade – Não pereça – maior promessa – Mas – maior diferença – Tenha – maior possessão – A vida eterna – maior tesouro. Você pode experimentar esse amor hoje.


Conclusão

Mantendo a chama acesa, a lenha do amor a Deus. Devemos amar a Deus integralmente, e em resposta ao seu amor por nós. Encerro lembrando as palavras de Jesus à igreja em Éfeso: “Tenho, porém, contra ti, que abandonaste o primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras” (Apocalipse 2.4-5).

Rev. Pedro Leal Junior