Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 01.06.14


Marcos 4.11


Estamos iniciando uma nova série de mensagens com o tem central “O reino de Deus”. Fiquei pensando sobre o nosso tema de hoje “A realidade do reino de Deus” e entendi que para nós brasileiros não é muito simples falarmos sobre esse tema. Na história do Brasil tivemos pouco tempo de reinado, fomos colônia de Portugal até 1815, e fomos reino de Portugal entre 1815 e 1822, tendo como rainha D. Maria I e seu filho D. João VI. Em 1822 (7 setembro) com a independência nos tornamos Império e depois disso república, em 1890. Falar de rei e de reino é distante de nossos conceitos. Diferente seria se estivéssemos na Inglaterra com reis e rainhas até o dia de hoje.

Mas o fato é que a Bíblia nos fala de um reino, o reino de Deus, e quando nos tornamos filhos e filhas de Deus, em Jesus, passamos a fazer parte desse reino. Mas qual a realidade do reino de Deus para nós hoje?


1.No reino de Deus existe um Rei

A primeira verdade que precisamos compreender é: há um Rei assentado no trono: Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; que casa me edificareis vós? E qual é o lugar do meu repouso? (Isaías 66.1). Muitos acham que o mundo é como um barco à deriva num grande oceano, ou um relógio que alguém deu corda e agora funciona por conta própria. Outros ainda acham que há uma disputa entre Deus e o Diabo para ver quem é que manda aqui na terra e quem vai estabelecer o reino futuro. Isso não é verdade. Precisamos resgatar a verdade de que temos um Rei, Deus está assentado num alto e sublime trono e tem o nome de santo (Isaías 57.15) e governa sobre todas coisas visíveis e invisíveis.

Tal é seu controle que a Bíblia diz que nem uma folha cai de uma árvore sem que ele permita e que todos os fios de cabelo de nossas cabeças estão contados (Mateus 10.30). Deus está no controle, aleluia! O profeta Isaías no capítulo 40 fala sobre essa grandiosidade de Deus, aquele que toma as águas dos oceanos na concha de suas mãos, que mede os céus com as palmas das mãos, que mede todo o pó da terra em balança de precisão, que estende os céus como se fosse uma cortina, a quem o compararemos? No v 26 o profeta diz que Deus é “grande em força e forte em poder”.

Se há um reino, há um Rei. Você e eu, hoje, podemos descansar que nossas vidas estão em boas mãos. Lembrem-se sempre, a cruz está vazia, o túmulo está vazio, mas o trono não. Deus está assentado no trono do reino.


2.No reino de Deus existe um exército do Rei

Como todo reino que existe está sujeito a invasores e ameaças, o reino de Deus é combatido fortemente por inimigos, ou pelo seu inimigo, Satanás. Há uma dimensão de luta espiritual contra os habitantes deste reino. O apóstolo Paulo afirmou que nossa luta não é contra carne e sangue, mas é contra principados e potestades deste mundo tenebroso (Efésios 6.10). O que precisamos compreender é que o nosso rei possui um exército celestial que luta por nós, não estamos sozinhos. Muitas vezes ficamos ansiosos diante dos desafios da vida por esquecerrmos dessa verdade, assim aconteceu com o moço de Eliseu.

Certa vez, o rei da Síria enviou cavalos, carros e fortes tropas à noite para cercar e ameaçar o Eliseu. Seu empregado ficou aterrorizado, mas o profeta respondeu: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. Orou Eliseu e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu (2 Reis 6.16-17).

Minha oração hoje é para que Deus abra os nossos olhos e possamos perceber a realidade do reino e de seus exércitos que lutam a nosso favor (Salmos 91.11).


3. No reino de Deus existe um povo que serve o rei

Um rei deve ter trono, um rei deve ter exércitos, mas um rei deve, necessariamente, ter súditos, senão não é rei. Assim é no reino de Deus. A todos que entenderam a mensagem da salvação em Jesus Cristo, que habitava na glória, deixou esta glória e esvaziou-se deu-nos o poder de sermos feitos seu povo. Ele nos comprou do reino das trevas por alto preço e nos levou para o reino do seu amor. Com autoridade o apóstolo Pedro ensinou: Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1 Pedro 2.9).

Nós éramos considerados Não-Povo-de-Deus, e fomos feito Povo de Deus. Jesus disse: Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino (Lucas 12.32). Assim, eu e você recebemos a Jesus em nossos corações não apenas como nosso Salvador, mas quando entendemos sua obra na cruz do calvário o recebemos também como nosso Senhor (Kyrios), como nosso Rei e nós como seus súditos. Um súdito, não discute a ordem do Rei, o súdito obedece por amor ao Rei.

A realidade do reino de Deus nos faz lembrar que Jesus é Rei, nós somos servos, ele é o Criador, nós criatura, ele é o oleiro, nós somos barro.


Conclusão

Vimos hoje sobre a realidade do reino de Deus. Há um Rei, há um exército do Rei e há súditos do Rei. Este reino está implantado, mas ainda não totalmente. E você, já faz parte deste reino?

 

Rev. Pedro Leal Junior