Conteúdo e Mídia

Mensagens

Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus (Êxodo 3.6).


Essa é a maneira como Deus decidiu se apresentar a Moisés: Deus de pais. Deus do pai de Moisés e de três gerações de pais: Abraão, Isaque e Jacó. Pais que estão muito longe de serem perfeitos ou de terem famílias perfeitas. Mesmo em meio a muitas disfuncionalidades na vida pessoal e familiar, cresceram na intimidade com Deus e tornaram-se pais que abençoaram gerações até os dias de hoje.

A entrega de Abraão. A história de Abraão e sua descendência é realmente impactante. Quando Deus o chamou para ser pai de nações, sendo já velho e sua esposa estéril, parecia a realização de um grande sonho, mas um daqueles que jamais aconteceriam. Abraão decidiu improvisar, mas não deu muito certo. Continuou crendo e, então, veio o filho da promessa, Isaque. E foi exatamente por meio desse esperado filho que Abraão teve sua fé provada. Em meio a muitas lutas Deus nos ensina preciosas lições por meio desse patriarca, que, ao final, ficou marcado na história como pai da fé e amigo de Deus.

A superação de Isaque. Filho de Abraão e pai de Jacó e Esaú, Isaque é um dos nossos patriarcas na fé. Por intermédio de sua vida vamos aprender que, em meio à alegria da paternidade, há grandes desafios a serem vividos. Ele deparou-se com lutas entre os filhos, rejeição e engano. Mas, durante toda sua história desfrutou da bênção de Deus e no fim dos seus dias teve sua alegria restaurada e sua paternidade honrada. A superação de Isaque irá nos ensinar a entregarmos nossa família diante de Deus, nosso Pai amoroso.

A bênção de Jacó. Pense em como você gostaria que fosse seu último dia de vida. Mais ainda: como gostaria que fossem seus últimos minutos de vida. Pois Jacó inspira qualquer um de nós. Seu desfecho apoteótico mostrou que estava encharcado da presença de Deus, quando chamou os seus filhos e disse: — Ajuntem-se, e eu lhes farei saber o que vai acontecer com vocês nos dias que virão (Gênesis 49.1 - NAA). Dali em diante, profetizou sobre cada um de seus doze filhos, que se tornariam doze tribos, que seriam uma grande nação pelos séculos adiante. Jacó, como pai, longe de ser perfeito ou de ter uma história pessoal e familiar irrepreensível, ao final de sua vida mostrou grande sensibilidade profética, fruto de sua intimidade com Deus e autoridade perante seus filhos.

A alegria de ser pai está longe de ser o retrato de uma família que não traga profundos desafios. Assim como Deus esteve presente na vida desses pais abençoados, ele quer estar presente em nossa vida como pais biológicos e espirituais.


Daniel Zemuner, Pedro Leal Junior e Rodolfo Montosa

 

 

Igreja IPI