Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 31.12.15


Mas o pai ordenou aos empregados: “Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Ponham um anel no dedo dele e sandálias nos seus pés. Também tragam e matem o bezerro gordo. Vamos começar a festejar porque este meu filho estava morto e viveu de novo; estava perdido e foi achado.” E começaram a festa (Lucas 15.22-24).
 

As festas de final de ano mantêm certa tradição no que se refere ao vestuário. Muitos gostam de usar branco para atrair paz, outros preferem amarelo para atrair dinheiro, outros ainda escolhem o vermelho para atrair sucesso na vida amorosa. Mas, convenhamos, isso é mera superstição. Se fosse verdadeiro, não haveria médico em depressão, nossos amigos carteiros estariam milionários e não existiria divórcio entre os bombeiros. Diferente de roupas supersticiosas, como o pai que recebeu seu filho que estava perdido, nosso Pai celestial tem reservado o melhor vestuário para nos revestirmos não somente neste novo ano que se aproxima, mas para todo o sempre.

Começou ordenando: Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. A melhor roupa é aquela que nos identifica como filhos amados do Pai. Não mais os trapos de “sem-teto”, muito menos as vestes esfarrapadas de mendigos “sem-pai”. Recebemos vestes de salvação (Is 61.10), alvejadas no sangue do Cordeiro (Ap 7.13-15), reais, puras, limpas, dignas de príncipes e princesas que têm o sangue real correndo em suas veias. Recebemos vestes da filiação ao Pai.

Em seguida, disse-lhes: Ponham um anel no dedo dele. O anel é um sinal de autoridade, símbolo de poder usado para selar documentos, escrituras, correspondências. Não há mais lugar para vivermos cabisbaixos, impotentes, desvalorizados, escravizados e derrotados pelo inimigo. Assim como os discípulos de Jesus, fomos revestidos de poder do Espírito Santo (Lc 24.49), e revestidos de toda a armadura de Deus, para ficarmos firmes contra as ciladas do diabo (Ef 6.11ss). Recebemos vestes do poder do Espírito.

Também ordenou aos seus servos: ponham sandálias nos seus pés. Sandálias falam de melhores condições para nossa caminhada nesta vida, falam de proteção e conforto. Os pés eram o que mais se sujava naqueles dias, tanto que era comum aos servos lavarem os pés dos senhores. Não somente o Senhor colocou sandálias em nossos pés, mas deixou de antemão as pegadas sobre as quais devemos andar (Ef 2.10), nos providenciou tudo o que era necessário para que sejam sempre limpos através da confissão (1 Jo 1.8-9), ou na figura que ele mesmo ministrou lavando os pés dos seus discípulos (Jo 13.5-10). Somos chamados para nos revestir do Senhor Jesus Cristo e andarmos dignamente (Rm 13.13-14), nos revestirmos do novo homem segundo a imagem daquele que nos criou (Cl 3.9-10). Recebemos vestes do caráter de Cristo.

Por último, disse a todos: vamos começar a festejar. É verdade que o irmão mais velho não pareceu muito feliz com tudo o que estava acontecendo. Contudo o desejo do Pai é que todos participem da alegria de todos. Devemos nos revestir de ternos afetos de misericórdia, de bondade e longanimidade uns para com os outros (Cl 3.12). Fomos ungidos pelo Espírito de Deus para ministrarmos uns aos outros glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado (Is 61.1-4). Recebemos vestes do amor ao outro.

Que tal mudar seu guarda-roupa neste ano novo? Com a melhor roupa dada pelo Pai, estaremos prontos para o novo ciclo que começa. Vamos, pois, nos despir de todo trapo e nos revestir dos trajes reais até quando, um dia, receberemos, definitivamente, as vestes de incorruptibilidade e de imortalidade (1 Co 15.54).

Rev. Rodolfo Garcia Montosa