Conteúdo e Mídia

Mensagens

“Remindo o tempo, porque os dias são maus” (Efésios 5.17)

A palavra tempo é a tradução, na Bíblia, de duas palavras gregas que tem, cada uma, significados específicos: Chronos, titã da mitologia grega, jovem com aparência de idoso, lento, considerava-se senhor do tempo e por isso devorava os seus filhos quando nasciam. O tempo (chronos) é implacável. É o tempo quantidade, linear, que pode ser medido em sucessão de segundos, minutos, horas, dias, meses, anos, décadas, séculos, milênios. Daí os cronômetros e a palavra cronologia. A outra figura é Kairós, também titã, jovem, sempre nu, rápido, com cabelos apenas na frente e por isso devia ser encarado de frente, porque, se passasse, por trás só tinha calvície e corpo nu, sem condições de agarrá-lo. Por isso, significa tempo qualidade, oportunidade favorável, tempo certo, ocasião oportuna, época conveniente, tempo próprio, momento pleno de riqueza, conteúdo e significado. Cristo veio na plenitude do tempo (Gálatas 4.4) e sua encarnação, morte, ressurreição e ascensão enchem o tempo (chronos) de significado, tornando permanente na história o tempo (kairós) de Deus. Por isso, mesmo vivendo no tempo (chronos), temos experiência da vida plena, eterna (João 5.24), vivendo o tempo de Deus (kairós) cheio de riqueza e conteúdo.

A celebração de aniversários, e o início de um ano novo são momentos propícios para refletirmos se estamos vivendo o tempo qualidade (kairós) no tempo quantidade (chronos). Impõe-se uma pergunta:

Estamos aproveitando no tempo (chronos) as duas grandes oportunidades (kairós) que Deus nos dá?

Salvação: “Como cooperadores de Deus, insistimos com vocês para não receberem em vão a graça de Deus. Pois ele diz: "Eu o ouvi no tempo favorável e o socorri no dia da salvação". Digo-lhes que agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação!” (2 Coríntios 6.1-2 – NVI).  

O tempo kairós é oportunidade que passa rápido. O tempo para a salvação é agora.

Missão: Para quem recebeu a salvação em Cristo, a missão é a razão de permanecer no mundo. O ensino da Palavra é claro: “Enquanto é dia, precisamos realizar a obra daquele que me enviou. A noite se aproxima, quando ninguém pode trabalhar” (João 9.4 – NVI). “Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai. Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor, que vocês estão servindo” (Colossenses 3.17, 23-24 – NVI).

Os textos acima ensinam que o tempo da missão é urgente e abrange todas as ações do crente. Ele é salvo pela graça mediante a fé, não pelas obras (Efésios 2.8-9), mas para as boas obras que Deus já lhe preparou de antemão (Efésios 2.10). É rica a oportunidade e o privilégio de vivermos o projeto de vida que Deus tem para cada um de nós.

Como aproveitar as oportunidades.

Com sabedoria. Depois de demonstrar que os cristãos não têm nada a ver com as obras infrutíferas das trevas (Efésios 5.3-14), Paulo exorta: “Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus” (Efésios 5.15 – NVI). Quem se deixa dirigir por Deus mediante a sua Palavra jamais fica desnorteado porque, como disse o salmista:A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho” (Salmos 119.105 – NVI).

Martin Luther King dizia que o cristão precisa ter mente penetrante e coração terno, piedoso, para viver neste mundo, cumprindo a missão dada por Jesus e cita:Eu os estou enviando como ovelhas entre lobos. Portanto, sejam astutos como as serpentes e sem malícia como as pombas” (Mateus 10.16 – NVI).

Submissos à vontade de Deus. Depois de afirmar que devemos andar como sábios, Paulo aponta o segredo da sabedoria em: “Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor” (Efésios 5.17 – NVI). Jesus ensina que o Reino de Deus e a sua justiça é o essencial. As demais coisas, como comida, bebida, vestuário etc., embora úteis e necessárias, não são essenciais, mas secundárias. Quem tem o essencial, tem tudo. Quem corre atrás das coisas secundárias, deixando as essenciais, perde tudo. Por isso ele exortou: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas” (Mateus 6.33 – NVI).

Cheios do Espírito Santo. “Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo” (Efésios 5.18-21 – NVI).

Esse texto deixa claro que a vida cheia do Espírito é para todo o cristão. É uma ordem, porque o verbo está no imperativo, mas, ao mesmo tempo, na voz passiva e no presente contínuo. “Deixem-se encher continuamente pelo Espírito. A fonte é Jesus e está sempre aberta: Jesus levantou-se e disse em alta voz: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Ele estava se referindo ao Espírito, que mais tarde receberiam os que nele cressem. Até então o Espírito ainda não tinha sido dado, pois Jesus ainda não fora glorificado” (João 7.37-39 – NVI).

Jesus já foi glorificado. Pedro afirmou no dia de Pentecostes: “Exaltado à direita de Deus, ele recebeu do Pai o Espírito Santo prometido e derramou o que vocês agora veem e ouvem” (Atos 2.33). Desde o Pentecostes, quem crê em Jesus recebe o Espírito Santo. Nele (Jesus), “quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados com o Espírito Santo da promessa” (Efésios 1.13). O mandamento, agora, é para vivermos cheios do Espírito. Deixai-vos encher continuamente pelo Espírito. Como?

Louvando de coração: “Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor” (Efésios 5.18-19 – NVI).

Agradecendo por tudo: “Dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (Efésios 5.20 – NVI).

Sujeitando-nos aos irmãos em Cristo: “Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo” (Efésios 5.21 – NVI).

Paulo tem em mente o culto comunitário dos discípulos de Cristo, mas o versículo 21 introduz o ensino sobre os relacionamentos básicos da vida: Esposo e esposa; pais e filhos; senhores (empregadores) e escravos (empregados). Isso significa que, em Cristo, podemos viver nesses relacionamentos todos com sabedoria, submissos à vontade de Deus e cheios do Espírito Santo.

Os valores mundanos representados pelo poder, dinheiro e fama são devorados pelo tempo (cronos). “E o mundo passa, com tudo aquilo que as pessoas cobiçam; porém aquele que faz a vontade de Deus (kairós) vive para sempre” (1 João 2.17 – NTLH).

Portanto, tenhamos em mente que, aproveitando as oportunidades que Deus nos dá, ele age em nós e por meio de nós no mundo. Essas obras nos acompanharão para a eternidade como está escrito:Então ouvi uma voz do céu dizendo: "Escreva: Felizes os mortos que morrem no Senhor de agora em diante". Diz o Espírito: "Sim, eles descansarão das suas fadigas, pois as suas obras os seguirão"” (Apocalipse 14.13).

O tempo quantidade (chronos) será transformado no tempo qualidade (kairós) para a eternidade.

Rev. Mathias Quintela de Souza