Conteúdo e Mídia

Mensagens

— Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e bateram com força contra aquela casa, e ela não desabou, porque tinha sido construída sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que construiu a sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e bateram com força contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína (Mateus 7.24-27 - NAA).

 

Ao final do conhecido Sermão da Montanha, Jesus contou essa parábola trazendo uma linda e poderosa figura de uma casa sendo construída em diferentes terrenos. O que diferencia um terreno do outro é praticar, ou não, suas palavras. Dependendo de onde a casa foi edificada será sua capacidade de resistir às adversidades que a vida traz. Segundo o texto, existem três dimensões de onde as adversidades vêm e para onde devemos focalizar nossa batalha.

A expressão caiu a chuva indica adversidades que vêm de cima, do mundo espiritual, ao que muitos chamam de batalha espiritual. Sabemos que nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes (Efésios 6.12). Por outro lado, também é verdade que Deus, em Cristo, nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais (Efésios 1.3), e que as armas da nossa milícia, especialmente a oração, são poderosas em Deus e território rochoso para firmarmos nossa casa.

A expressão transbordaram os rios indica adversidades que vêm do interior. Rios transbordam de si mesmos. Sabemos que enfrentamos desafiadoras batalhas que vêm de nossa alma, de nossas memórias, traumas, lacunas emocionais, de nós mesmos. Essa é a dimensão de onde emerge a maior parte de nossas lutas. Num momento de angústia, o salmista conversando consigo mesmo dizia: Porque estás abatida ó minha alma e porque te perturbas dentro em mim? (Salmos 42.5). O profeta Elias, após um episódio vitorioso contra seus inimigos, enfrentou uma grande luta interior. O próprio Jesus, no Getsêmani, enfrentou uma de suas piores lutas internas. A boa notícia é que a palavra de Deus tem um poder de restauração sobre nossa alma. Muitos são os textos que afirmam sobre como a Bíblia nos refrigera, transforma e reanima.

A expressão sopraram os ventos indica adversidades que vêm do lado, do mundo relacional, as batalhas que enfrentamos nas relações humanas dentro e fora de casa, com nossos irmãos e irmãs, ou simplesmente com outro ser humano. Sabemos que Jesus foi traído por Judas, abandonado por seus discípulos, acusado falsamente pelos religiosos, julgado injustamente pelo tribunal romano, zombado pelos soldados. Também sabemos que ele amou até o fim, e isso é território rochoso para firmarmos nossa casa.

A oração, a Palavra e o amor formam, em síntese, o território seguro e representam a Rocha chamada Jesus onde devemos firmar nossa casa. Fora disso, será areia. Em Jesus conseguimos enfrentar os maiores desafios da vida, as piores aflições, as adversidades que parecem impossíveis, as batalhas com gigantes. Em Jesus somos vitoriosos!


Cibele e Rodolfo Montosa

 

Igreja IPI