Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 29.09.19

Para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros (1 Co 12.25).


Se a salvação é uma experiência pessoal e cremos que ela o é, a vida do salvo se manifesta de maneira coletiva – na Igreja – no relacionamento “uns aos outros”, expressão enfática em todo o Novo Testamento, conforme os irmãos estão estudando.

Hoje, abordaremos a exortação paulina de que devemos cooperar uns com os outros na implantação do reino de Deus e na vivência na Igreja.

Operar é um verbo que significa: exercer ação, função, atividade ou ofício; agir, trabalhar. No caso, ele vem com o prefixo “co”, que sinaliza: atuar juntamente com outros, para um mesmo fim; contribuir com trabalho, esforços, auxílio; colaborar.

Cooperar uns com os outros determina nossa identidade como Igreja: assim também nós, conquanto muitos, SOMOS UM SÓ CORPO EM CRISTO e membros uns dos outros (Rm 12.5). Gosto da versão da Bíblia A Mensagem, elaborada pelo pastor presbiteriano Eugene Peterson: Assim, somos como as várias partes do corpo humano. Cada parte tem seu significado no corpo, visto como um todo, mas não o contrário. O corpo de que estamos falando é o corpo formado por pessoas escolhidas por Cristo. Cada um de nós encontra significado e função como parte desse corpo. Não podemos ser como um dedo decepado, que não tem valor. Então, desde que estejamos ligados às outras partes constituídas de maneira genial e funcionando maravilhosamente no corpo de Cristo, SEJAMOS O QUE FOMOS FEITOS PARA SER. Veja que a ênfase está no SER UM SÓ, embora sendo muitos.

Na Igreja há lugar para a individualidade de cada um de nós, criado por Deus e capacitado com dons e talentos, mas, não deve haver espaço para o individualismo. Quando cooperamos uns com os outros, a identidade da Igreja se manifesta.

Cooperar uns com os outros determina nosso testemunho como Igreja: Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros (Ef 4.25). Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos (Rm 12.16). Uma vez mais a versão da Bíblia A Mensagem: Essa nova vida traz mudanças: chega de mentiras, chega de fingimento. Falem a verdade. No corpo de Cristo, estamos, antes de tudo, conectados uns com os outros. Se você mente para alguém, está mentindo para você mesmo (Ef 4.25).

Quando somos batizados ou fazemos nossa profissão de fé, prometemos sustentar a Igreja: financeiramente, com nossos dízimos e ofertas; espiritualmente, nos envolvendo em seus ministérios; e moralmente, dando um bom testemunho. Assim, estamos comprometidos com Cristo e sua Igreja, porque o meu bom testemunho vai abençoar os irmãos e o testemunho ruim vai prejudicar o corpo de Cristo. Vale sempre a oração de Davi em Salmos 69.6: Que não sejam envergonhados por minha causa os que em Ti esperam, ó Senhor, nem por mim sofram vexame os que te buscam, Deus de Israel.

Cooperar uns com os outros determina nosso propósito como Igreja: para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros (1Co 12.25). O modo pelo qual Deus formou o corpo humano é um modelo que nos ajuda a entender a nossa vida comunitária na igreja. Cada parte depende da outra. Vocês são o corpo de Cristo. Jamais se esqueçam disso. Só depois que vocês reconhecem que participam desse corpo é que a “parte” de vocês adquire algum significado (A Mensagem).

Nosso desejo deve ser cooperar para que se mantenha a unidade da Igreja, mesmo havendo nela diversidade de pessoas. A Igreja continua sendo o melhor lugar do mundo e não tenho o direito de abandoná-la porque Jesus, o seu Senhor, não a abandona nem a abandonará.

Cooperemos uns com os outros!


Paulo de Melo Cintra Damião
Pastor Jubilado e atual Ministro da Missão da IPIB

Igreja IPI