Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 17.02.16

Provérbios 17.17


Introdução

O livro de Provérbios é atribuído ao sábio Rei Salomão, filho de Davi. O propósito principal é oferecer recurso para o ensino da sabedoria aos jovens, em primeiro lugar, da família real, mas, também, às outras famílias de Israel. Parece-nos que Salomão deseja compartilhar lances de sua vida, já que foi considerado homem muito sábio. A partir de suas próprias experiências, divide seus conhecimentos em forma de provérbio. O texto lido está inserido no contexto que envolve Provérbios 17.7-28, que são comentários a respeito do “insensato”, e, no meio dessas reflexões, ele fala a respeito do amigo, como age, o que faz e em quais circunstâncias. Assim, aprendemos com o sábio o “Valor de uma amizade”. Nesse curto verso vemos que o verdadeiro amigo faz alguns investimentos:

1.Investimento de amor

•Ama o amigo – o amigo ama;
•Pode parecer simples, mas não é simplista. O simples, nesse caso, é complexo e desafiador;
•Amar as pessoas passa pela conveniência. É mais fácil amar os que têm algo para nos oferecer;
•Amar o amigo significa fazer um investimento de amor independentemente de quem seja;
•O amigo sou eu, que estou fazendo um investimento de amor nessa relação;
•Existem pessoas que querem ter muitos amigos, mas não estão dispostas a amar;
•Jesus foi um bom amigo e teve bons amigos. Em João 15.15 diz: Tenho-vos chamado amigos;
•Um deles foi João, que ficou conhecido como o “Discípulo amado”;
•Você deseja ter amigos...então esteja disposto a amar aqueles que estão ao teu redor.

2.Investimento de tempo

•“Em todo tempo ama o amigo”, “o amigo ama sempre” (NTLH);
•O verdadeiro amigo ama o tempo todo, ama sempre, ama, ama, ama...
•Imagine se pudéssemos comprar o tempo...precisa ser usado com muita sabedoria;
•Amigos não se compram, porque amigos surgem com o tempo;
•Você deseja amigos, mas investe tempo nesses relacionamentos?
•A palavra traduzida por tempo poderia ser substituída por ocasião, ou experiência;
•O sábio não está falando de prazos, mas de circunstâncias, em toda circunstância o amigo ama;
•Muito tempo nem sempre significa muita amizade; pais e filhos, marido e mulher;
•Jesus investiu tempo com seus amigos e um deles, em especial, João, viu in loco as obras;
•Viu o Espírito Santo descer como pomba no batismo; presenciou inúmeros milagres, conversões, relacionamentos com pecadores e excluídos; viu Jesus sendo transfigurado no alto de um monte, ou seja, ocasiões, circunstâncias, experiências que só podem ser vividas com tempo.

3.Investimento nas horas difíceis

•Mas, Salomão, fala, também, do que acontece quando vêm as horas difíceis;
•Quando o amigo “ama”, e faz isso o “tempo todo”, na hora da angústia, surge o amigo íntimo;
•Este tem tanto ou mais valor quanto alguém de sangue;
•Se o amigo está disposto a amar o tempo todo, significa que na hora da dor, ele estará firme;
•O tempo passa e algumas amizades, simplesmente, ficam no tempo. Isso é normal;
•Mas, mesmo quando a amizade era intensa, nas horas difíceis o amigo estava lá;
•Entre tantas experiências marcantes em que João esteve com Jesus, a mais marcante foi a cruz;
•João 19.25-27 – João junto à cruz sendo considerado um irmão.

Conclusão

Provérbios 18.24 – Quantidade não é qualidade. Assim como na célula, nos reunimos em pequenos grupos para aprofundar o relacionamento. Amizades verdadeiras temos poucas, mas, suficientes. Jesus foi um AMIGO incondicional, por isso disse em João 13.15 – Assim como “eu vos fiz, façais vós também”.

Rev. Daniel Zemuner Barbosa