Conteúdo e Mídia

Mensagens

Ao verem a ousadia de Pedro e João, sabendo que eram homens iletrados e incultos, ficaram admirados; e reconheceram que eles haviam estado com Jesus
(Atos 4.13 - NAA).Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com ousadia, anunciavam a palavra de Deus (Atos 4.31 - NAA).Pregava o Reino de Deus, e, com toda a ousadia, ensinava as coisas referentes ao Senhor Jesus Cristo, sem impedimento algum (Atos 28.31 - NAA).


Ousadia é coragem, valentia, arrojo, peito, bravura, intrepidez, ânimo, desassombro, desembaraço, denodo, firmeza, determinação, constância, decisão, perseverança, tenacidade, zelo. O sentido oposto é covardia, medo, receio, pavor, temor, pânico, acanhamento, fraqueza, desânimo, debilidade. Pessoas cheias do Espírito Santo tornaram-se cheias de ousadia. Delas foram arrancados o medo e seus aliados. Vejamos três momentos no livro de Atos quando isso aconteceu.

Após terem curado um homem coxo de nascença em nome de Jesus, Pedro e João passaram a ser perseguidos por líderes religiosos e políticos daqueles dias. Porém, quando viram a intrepidez deles, sabendo que eram homens iletrados e incultos, admiraram-se e reconheceram que haviam estado com Jesus. Mesmo diante de tanta oposição, chegaram à conclusão que não poderiam deixar de falar das coisas que haviam visto e ouvido. Assim, eles nos ensinam de que maneira podemos exercer essa ousadia resistente (Atos 4.1-22).

O cenário era de fúria das autoridades religiosas contra os discípulos. Havia ameaças e prisões, mas ao mesmo tempo havia uma certeza de que Deus estava no controle. Diante desse quadro, os discípulos levantaram a voz a Deus em oração clamando: Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra (Atos 4.29). Vamos juntos, neste tempo de ameaças externas e internas, clamar a Deus que nos encha do Espírito de ousadia contagiante (Atos 4.23-31).

O livro de Atos termina com a clara demonstração de ousadia na vida de Paulo, quando estava em Roma, cheio do Espírito, diante das mais ferrenhas oposições políticas e religiosas. Sua intensa experiência com Deus (exposição em testemunho), seu profundo conhecimento da Palavra (tanto pela Lei de Moisés como pelos Profetas) e seu sincero amor pelas pessoas (recebia todos os que o procuravam) conduziram o apóstolo a ter, até o fim, uma ousadia perseverante (Atos 28.16-31).

Definitivamente, Deus não nos deu espírito de covardia (2 Timóteo 1.7). Ao contrário, porque nossa esperança está baseada no poder e ação do Espírito Santo, agimos com muita ousadia (2 Coríntios 3.12). Vamos nos encher do Espírito Santo. Vamos nos encher de ousadia resistente, contagiante e perseverante.

Daniel Zemuner, Pedro Leal Junior e Rodolfo Montosa

Igreja IPI