Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 06.11.16

Porque eu, o Senhor, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: Não temas, que eu te ajudo (Isaías 41.13).


Ele estava experimentando um dos melhores momentos no exercício do seu ministério apostólico. Depois de Pedro pregar um poderoso sermão, cerca de três mil pessoas se converteram e foram batizadas (Atos 2.41).

Certo dia, Pedro e seu companheiro João foram ao templo orar, e ao ouvir o pedido do coxo que esperava receber deles uma esmola, disse-lhe: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram (Atos 3.6-7).

As coisas estavam acontecendo, a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles. Afluía também muita gente das cidades vizinhas a Jerusalém, levando doentes e atormentados de espíritos imundos, e todos eram curados (Atos 5.15-16).

Mas, como se isso não bastasse, esse homem que estava experimentando tanto sucesso foi usado até para ressuscitar mortos: Havia em Jope uma discípula por nome Tabita, nome este que, traduzido, quer dizer Dorcas; era ela notável pelas boas obras e esmolas que fazia. Ora, aconteceu, naqueles dias, que ela adoeceu e veio a morrer; e, depois de a lavarem, puseram-na

no cenáculo. Como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, enviaram-lhe dois homens que lhe pedissem: Não demores em vir ter conosco. Pedro atendeu e foi com eles. Tendo chegado, conduziram-no para o cenáculo; e todas as viúvas o cercaram, chorando e mostrando-lhe túnicas e vestidos que Dorcas fizera enquanto estava com elas. Mas Pedro, tendo feito sair a todos, pondo-se de joelhos, orou; e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te! Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, sentou-se. Ele, dando-lhe a mão, levantou-a; e, chamando os santos, especialmente as viúvas, apresentou-a viva (Atos 9.36-41).

Foi em meio a esse tempo de sucesso que Pedro experimentou um revés: foi preso e entregue a quatro escoltas de quatro soldados cada uma. E nessa hora difícil algo aconteceu: Quando Herodes estava para apresentá-lo, naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias, e sentinelas à porta guardavam o cárcere. Eis, porém, que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz iluminou a prisão; e, tocando ele o lado de Pedro, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa! Então, as cadeias caíram-lhe das mãos (Atos 12.6-7). O anjo se encarregou de tudo: Disse-lhe o anjo: Cinge-te e calça as sandálias. E ele assim o fez. Disse-lhe mais: Põe a capa e segue-me. Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade, o qual se lhes abriu automaticamente; e, saindo, enveredaram por uma rua, e logo adiante o anjo se apartou dele. Então, Pedro, caindo em si, disse: Agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judaico (Atos 12.8, 10-11). À primeira vista, tudo tinha chegado ao fim. Mas o Deus que intervém, mais uma vez agiu e as portas foram abertas, as cadeias caíram, Pedro foi liberto do cárcere, e sua vida foi salva.

Quando estamos algemados, vigiados, esperando o fim, doentes, sufocados, olhamos e não vemos saída, o Senhor abre portas e nos tira do sufoco.

Rev. Messias Anacleto Rosa