Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 24.09.17


Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo (1 Pedro 2.4-5).

Juan Carlos Ortiz observou, com certo humor, que muitos veem a igreja como um monte de material de construção e que o papel da liderança consiste em vigiar para que nenhum material seja dali subtraído. No entanto, quando lemos o Novo Testamento, percebemos que a igreja é uma casa espiritual que está sendo edificada sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;  no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce como santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus em Espírito (Efésios 2.20b-22). Quem edifica a igreja é Jesus (Mateus 16.18), mas, quando nos reunimos, mesmo que sejam dois ou três, ele está presente (Mateus 18.20) e nos treina por intermédio dos ministros da palavra (Efésios 4.11-12) e capacita a cada um de nós com os dons do Espírito Santo (1 Coríntios 12.7-11, 14.26; Romanos 12.4-8; 1 Pedro 4.10-11) para que edifiquemos uns aos outros.

Quando nos reunimos, edificamos uns aos outros em Cristo. Quando Pedro confessou que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mateus 16.16), o Mestre afirmou que sobre esta confissão do apóstolo, esta pedra, edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mateus 16.18). Ele é a pedra eleita e preciosa e nós, como pedras vivas, somos nele edificados como casa espiritual (1 Pedro 2.4-5). Paulo adverte: Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo (1 Coríntios 3.10-11). Quando nos reunimos no templo ou na célula, Jesus não só está presente (DNA), mas ele age pela palavra, pelos dons do Espírito e pela oração para edificação dos santos e para alcançar os descrentes e indoutos (1 Coríntios 14.23-26).

Quando nos reunimos, edificamos uns aos outros como comunidade. Se alguém subtrair um tijolo de um monte de material de construção, dificilmente será percebido. O mesmo não acontece se for retirado um tijolo da parede. Fica o rombo. Servimos uns aos outros na posição em que fomos colocados pelo Senhor. Se uma pedra colocada no alicerce sair do seu lugar para alcançar visibilidade, compromete toda a estrutura do edifício. Paulo ensina: ...os membros do nosso corpo que parecem ser os mais fracos são necessários... Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros (1 Coríntios 12.22b, 24b-25). A individualidade de cada um é levada em conta, mas o individualismo egoísta não tem espaço na comunhão dos adoradores.

Quando nos reunimos, edificamos uns aos outros como sacerdotes. Em Cristo nos edificamos como casa espiritual para sermos sacerdócio santo (1 Pedro 2.5). Quando Cristo se ofereceu como sacrifício perfeito de uma vez por todas (Hebreus 9.11-12), a espessa cortina que separava o santo dos santos rasgou-se de alto a baixo (Mateus 27.51) e passamos a ter livre acesso ao santuário celeste (Hebreus 10.19-22). Ele nos libertou dos nossos pecados e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai (Apocalipse 1.5b-6a). Cada um de nós é sacerdote, ministro, servo de Cristo para a edificação mútua, como ensina Pedro: Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo.

Rev. Mathias Quintela de Souza