Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 25.101.6
 

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer (João 15.5).
 

A videira é um tipo de planta trepadeira muito cultivada por seus deliciosos frutos, as uvas, usadas para consumo e para fabricação do vinho. A união que existe entre os ramos e o caule principal de uma videira é mais íntima do que podemos imaginar. É nessa união que está a razão de toda a vida, beleza, força e fertilidade do ramo. Se o ramo for desligado do caule, ele fica sem vida em si mesmo. A seiva que corre no interior do caule é a fonte de poder que sustenta as folhas, os botões, as flores e os frutos da videira.

Nós, como igreja, somos os ramos e o Senhor Jesus Cristo é a raiz da videira. Somos ramos da videira verdadeira a partir do momento que exista uma íntima união entre nós e Cristo. Não conseguimos nos sustentar e nutrir por nós mesmos, só por meio de Cristo. Em nós mesmos não possuímos vida e nem força espiritual. Tudo que possuímos em nossa vida espiritual procede de Cristo. Vivemos, nos comportamos e agimos como crentes, porque recebemos de Cristo um contínuo suprimento de graça, unção e capacitação. Sendo assim, devemos meditar sobre o fato de que não somos deixados viver por nós mesmos, na nossa própria dependência e no nosso próprio poder. Nossa raiz é Cristo, e tudo que existe na raiz tem em vista o melhor para os ramos. Se Cristo vive, nós também viveremos. E, embora, sejamos fracos, a nossa raiz está nos céus e jamais morrerá. O apóstolo Paulo escreveu: “Por isso, eu me contento nas fraquezas, nas ofensas, nas dificuldades, nas perseguições, nas angústias por causa de Cristo. Pois, quando sou fraco, então é que sou forte” (2 Coríntios 12.10).

Tudo começa quando recebo a Cristo como meu único Senhor e Salvador. Sou enxertado na videira e passo a receber alimento do Senhor Jesus. A minha vida começa a produzir frutos e, dessa forma, glorifico a Deus.

Não devemos fazer as coisas do nosso próprio jeito, no nosso próprio esforço. Porque, sem Jesus, qualquer serviço para Deus, não dirigido pelo Espírito Santo, é inútil. Em Filipenses 4.13 lemos: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece”.

O crente que permanece em Cristo, assim como o ramo permanece na videira, produz muito fruto.  Arrependimento para com Deus, fé em nosso Senhor Jesus Cristo, santidade de vida e de conduta, discipulado com pessoas novas na fé, uma vida de evangelização, são algumas coisas que a Bíblia chama de fruto. Essas marcas caracterizam a pessoa que vive como genuíno ramo da videira verdadeira. O Espírito de vida em Cristo Jesus sempre se manifestará na vida e no agir diário daqueles em que ele habita. O próprio Jesus declarou que “toda árvore é conhecida pelo fruto” (Lucas 6.44).

Assim como o agricultor poda os ramos de uma videira a fim de deixá-la mais frutífera, assim também Deus age na nossa vida por meio das circunstâncias em que ele nos coloca. As provações são o instrumento pelo qual nosso Deus poda os ramos. Por intermédios das provações, o Senhor desperta em nós as nossas qualidades adormecidas e comprova se somos capazes de suportar a vontade dele, tão bem quanto fazê-la. Por meio das provações, Deus nos afasta da influência mundana, nos atrai a Cristo, nos aproxima da Bíblia e nos torna mais humildes e perseverantes em oração. Devemos ser mais pacientes nos dias de sofrimento intenso. Sempre devemos trazer isso à lembrança, para que não murmuremos por causa das aflições. Nossos sofrimentos visam o que há de melhor para nós, pois, visam apenas o nosso bem: “Deus nos disciplina para nosso bem, para sermos participantes da sua santidade” (Hebreus 12.10).

Rev. Lincoln Sérgio Santos Faleiros