Conteúdo e Mídia

Mensagens

Mensagem de 22.12.19


No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba (João 7.37).


Há um cântico assim: "Tão perto do reino, mas sem salvação".  Paulo, o apóstolo, discursando perante o rei Agripa lhe dirige estas palavras: Acreditas, ó rei Agripa, nos profetas? Bem sei que acreditas (Atos 26.27). Vejamos a arrogante reação do rei: Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão (Atos 26.28). "O contexto indica que Agripa falou com ironia, talvez em forma de pergunta. Paulo não estaria pensando que logo converteria um rei, que na realidade tem outros interesses na vida".

Agripa, pela sua arrogância, suas vaidades e orgulho, deixou de aproveitar a maior oportunidade da sua vida. Era o bastante que, naquela hora, quando o apóstolo lhe perguntou: Acreditas, ó rei Agripa, nos profetas? ele lhe respondesse: "Sim, acredito". Mas o status, a vaidade, o impediram de confessar a sua fé. Tão perto, porém, tão longe. Quantos têm o cônjuge, ou um parente, ou amigos tementes a Deus, convivem com eles, mas não amam e não servem a Deus com eles. Para essas pessoas Jesus tem um recado bem sério: Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus (Mateus 10.32-33).

Pessoas há que vão até a fonte mas nunca bebem da fonte. Vão à igreja mas não se comprometem com ela. Leem a Bíblia em situações de medo, desespero, porém não a praticam. A Bíblia fica aberta no Salmos 91, mas o Deus do salmo ainda não é o seu Deus. Oram, rezam, mas duvidam do poder de Deus; são religiosos, mas não cristãos; estão perto do reino, mas não entram no reino. Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim (Mateus 15.8). Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.  Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?  Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade (Mateus 7.21-23).

O convite de Jesus é claro: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. O primeiro passo é vir à fonte, o segundo é beber da fonte. Não apenas nos assentarmos à mesa, mas querermos nos servir dela. Em Lucas 14.15 lemos: Ora, ouvindo tais palavras, um dos que estavam com ele à mesa, disse-lhe: Bem-aventurado aquele que comer pão no reino de Deus. Queremos fazer parte dos bem-aventurados que comem pão no reino de Deus. Jesus nos convida dizendo: Vinde, porque tudo já está preparado (Lucas 14.17). Não vamos comer apenas as migalhas que caem da mesa. Deus tem, para os seus filhos, o trigo fino, o mel que escorre da rocha: Ah! Se o meu povo me escutasse, se Israel andasse nos meus caminhos! Eu o sustentaria com o trigo mais fino e o saciaria com o mel que escorre da rocha (Salmos 81.13, 16).

Podemos agora, como peregrinos, chegar e beber.  A fonte está jorrando! Aleluia!

Rev. Messias Anacleto Rosa