Conteúdo e Mídia

Notícias

Em 19 de abril comemoramos o Dia do Índio. Muito se debate sobre os direitos, a preservação da cultura deste povo e a presença missionária nas tribos.

Foto: Tarso Sarraf/Agif/Estadão Conteúdo

A presença missionária entre os índios, muitas vezes, tem sido alvo de debates e perseguições. Recentemente um missionário foi denunciado pelo Ministério Público Federal no Pará, acusado de proselitismo religioso, o que violaria o direito à manutenção de culturas próprias. Diante destes questionamentos a Associação de Missões Transculturais Brasileiras (AMTB) representante de 47 agências, 14 das quais atuam entre os povos indígenas do Brasil, se posicionou por meio de uma nota pública sobre a atuação das agências evangélicas de missões transculturais:

“Frente às sugestões de que nossa ação junto aos povos indígenas é meramente catequizadora, é momento de trazer a público, de modo mais contundente ainda, as iniciativas e ações missionárias desenvolvidas por nossas agências ao longo de décadas. Ações essas, notadamente, nas áreas de saúde, educação, subsistência e preservação linguístico-cultural dos povos indígenas, com reconhecimento do próprio órgão indigenista oficial, primeiro SPI (Serviço de Proteção ao Índio) e posteriormente FUNAI (Fundação Nacional do Índio), em tempos anteriores a esta onda de perseguição institucional à qual, certos setores, têm-nos submetido. Conforme o relatório “Indígenas do Brasil”, publicado em 2010 pelo Departamento de Assuntos Indígenas da Associação de Missões Transculturais Brasileiras (DAI-AMTB), há 257 programas sociais entre as 182 etnias indígenas com presença missionária, nos quais foram realizados mais de 100 mil atendimentos médicos e odontológicos entre os anos de 2010 e 2012, a grande maioria sem qualquer participação financeira governamental. Assim também, na área acadêmica, nossas agências, através de um trabalho meticuloso e abalizado, metodológica e cientificamente, produziram, nos últimos anos, mais de 600 materiais de cunho acadêmico-educacional sobre línguas indígenas de povos originários brasileiros, preservando-se, assim, importante acervo memorial e cultural da nossa nação. Nesse sentido, é de se ressaltar, também, que as ortografias indígenas que hoje estão em uso foram, majoritariamente, desenvolvidas por instituições missionárias, num esforço intelectual que, de longe, supera projetos de extensão acadêmica levados a cabo, com amplo financiamento, em universidades públicas federais ou estaduais, por exemplo. Assim também, é de se destacar os posicionamentos das nossas agências missionárias, relativos a conflitos de terras e outros tipos de exploração, sempre em defesa dos povos indígenas”. Fonte: indigena.org.br

Hoje é Dia do Índio:

-Vamos interceder pelos indígenas, para que tenham seus direitos respeitados, sua cultura preservada, e para que vivam com dignidade.

-Vamos interceder também pelos missionários que atuam nas tribos brasileiras. Entre os nossos parceiros estão a Missão Caiuá (Instituto Felipe Landes – formação de obreiros indígenas), Pr. João Carlos Santana (MIAPI – Missão de Apoio aos Povos Indígenas) e outros.

-Para que não seja negado aos índios o direito de ouvir o evangelho.