#tamujunto no discipulado

Compartilhe:

E acrescentou: “Eu lhes digo a verdade: vocês verão o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem” (João 1.51 – NVT).

Logo no primeiro capítulo do Evangelho de João, o discípulo amado (João 13.23), lemos o relato no qual Jesus começa a chamar homens comuns para se tornarem seus discípulos. O versículo acima encerra o trecho do chamado de André, Pedro, Filipe e Natanael (João 1.35-51). Encontro simples, mas definitivo; poucas palavras, mas grandes transformações; olhares curiosos, mas corações atraídos. O desfecho desse chamado mostra o resultado do encontro com Jesus: “vocês verão o céu aberto”.

Jesus é o Cordeiro de Deus! Tudo começa com esta verdade. Jesus, reconhecido como Cordeiro de Deus, é a transição entre o Antigo e o Novo Testamento, a velha e a nova Aliança. Essa é uma realidade que apenas os discípulos conseguem perceber. João Batista, embora um proeminente profeta, afirmava não ser o Cristo (João 1.20), mas o caminho estava sendo preparado para a vinda do Senhor (João 1.23). Ao ver Jesus e afirmar ser ele o Messias esperado, dois de seus discípulos, imediatamente passaram a seguir Jesus (João 1.37), pois seus olhos foram abertos.

Jesus olha para nós! Ao reconhecerem Jesus, foram vistos pelo Mestre. Assim começa o discipulado, Jesus olhou em volta e viu que o seguiam. “O que vocês querem?” perguntou (João 1.38 – NVT). Jesus, embora soberano, interage com os discípulos perguntando acerca de suas necessidades e faz um simples convite: “Venham e vejam” (João 1.39 – NVT). Jesus os convida a passarem um tempo juntos, para que se conheçam, para que percebam, quem, de fato é o Mestre. Nesse encontro, André foi impactado, a tal ponto, que não pôde guardar a experiência somente para ele.

Nós olhamos para outras pessoas! André foi procurar seu irmão, Simão, e lhe disse: “Encontramos o Messias (isto é, o Cristo)”. Então André levou Simão para conhecer Jesus (João 1.41-42 – NVT). Dois pescadores vivenciando uma linda experiência com Jesus. Possivelmente, ali no barco, com sol escaldante, vivendo os desafios da pescaria, André sabia que Simão, seu irmão, também tinha necessidades, lacunas na alma, sabia que provocar um encontro entre o Messias e o seu irmão poderia ser a resposta para muitas perguntas. André teve seus olhos abertos e decidiu olhar ao redor, para que seu irmão Simão recebesse, também, a mesma alegria.

Outras pessoas olham para Jesus! A mesma experiência vivida por André, estava acontecendo agora com Simão. Jesus olhou para ele e viu nele uma rocha e declarou: “Você será chamado Cefas (isto é, Pedro)” (João 1.42 – NVT). O homem simples, o pescador discreto, tornou-se uma rocha ao encontrar-se com Jesus. O mais incrível é que ele foi levado pelo seu próprio irmão André. A experiência de um contagiou o outro, André encontrou o Messias, e Simão Pedro estava sendo chamado e preparado para liderar a Igreja Cristã em tempo oportuno.

Na sequência, o mesmo acontece com Filipe e Natanael e este modelo segue até hoje. O resultado? Vocês verão o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem. Aleluia!

Pr. Daniel Zemuner

Continue lendo

Mais Posts

Agenda
Comunicação IPILON

Para mulheres

No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, vamos realizar um encontro, às 20h, no Espaço Esperança. Com base no tema essência, vamos abordar

Leia Mais »
Blog
Comunicação IPILON

Discípulos aprendem a falar

Quando levarem vocês às sinagogas ou à presença de governadores e autoridades, não se preocupem quanto à maneira como irão responder, nem quanto às coisas

Leia Mais »

Olá! Nós somos uma igreja em células.

Menu
Institucional
Missão Integral
Voluntariado

Login no Basis