Pesquisar
Close this search box.

Amar é abrigar

Compartilhe:

Então, lhe veio a palavra do Senhor, dizendo: Dispõe-te, e vai a Sarepta, que pertence a Sidom, e demora-te ali, onde ordenei a uma mulher viúva que te dê comida (1 Reis 17.8-9).

A situação era de crise. Havia seca em todo Israel, nem orvalho e nem chuva caíam sobre a terra. O profeta Elias, que havia orado para que não chovesse, foi conduzido por Deus ao ribeiro onde era alimentado por corvos que lhe traziam pão e carne e ele bebia água do rio. Tempos depois, secou o rio (1 Reis 17.1-7). Vemos a partir daí:

A providência de Deus. Era necessário que o profeta recebesse abrigo, e Deus se encarregou de mostrar a direção. Ele instrui o profeta a procurar ajuda na casa de uma viúva, na cidade de Sarepta. A expressão ordenei a uma viúva que dê comida a você nos fala do plano de Deus para que haja socorro diante das necessidades. Quando abrigamos as pessoas, estamos participando dos planos de Deus.

A busca do profeta. A ordem clara Levante-se e vá a Sarepta revela nossa necessidade de buscar ajuda. Ao chegar na cidade, Elias encontrou a viúva trabalhando, ela estava apanhando lenha para fazer o alimento para si e para seu filho (1 Reis 17.12). Diante de sua jornada, Elias pede àquela mulher água e um bocado de pão. Quando reconhecemos que precisamos de abrigo, damos oportunidade às pessoas de demonstrarem amor.

O receio da viúva. Muito natural foi a reação da viúva. Diante do quadro de fome ela já estava pegando lenha para cozinhar, e declara seu temor a Elias diante de seus escassos recursos: um punhado de farinha numa panela, um pouco de azeite num jarro e dois pedaços de lenha. Seria a última refeição dela e de seu filho antes de morrerem de fome. O receio em abrigar as pessoas, muitas vezes, está ligado ao medo de faltar para nós.

A palavra do profeta. Percebendo a situação, Elias ministrou a viúva no que a impedia de ajudar: Não tenha medo. Diante do medo, Deus tinha uma promessa. Ao fazer primeiro um pãozinho para Elias e depois a comida para si e seu filho se cumpriria um milagre: A farinha da panela não acabará, e o azeite do jarro não faltará, até o dia em que o Senhor fizer chover sobre a terra (1 Reis 17.14).Quando Deus nos envolve em seu plano de amor, temos a segurança de suas promessas.

O cumprimento da promessa. Em obediência, a viúva fez segundo a palavra de Elias. Comeram ele, a viúva e sua casa por muitos dias. A farinha da panela não acabou, e o azeite do jarro não faltou, segundo a palavra do Senhor, anunciada por meio de Elias (1 Reis 17.16). É lindo ver como Deus é fiel em todas as suas promessas. Ao amar e abrigar as pessoas, experimentamos milagres em nossa casa.

Que história marcante! Jesus rememorou esse acontecimento em Lucas 4.24-26, destacando que Elias foi abrigado por uma viúva estrangeira. O amor foi demonstrado, um legado foi plantado, um profeta foi abrigado e um lar foi abençoado. Sejamos hoje, de muitas formas, uma igreja que ama e abriga a quem precisa.

Pr. Pedro Leal Junior

Continue lendo

Mais Posts

Notícias
Comunicação IPILON

Indo para a Albânia

No domingo, 7 de julho, tivemos um momento especial no culto das 10h, com o envio de irmãos que permanecerão dez dias na Albânia, em

Leia Mais »

Olá! Nós somos uma igreja em células.

Menu
Institucional
Missão Integral
Voluntariado

Login no Basis