Boletim
Online

Esse é o nosso informativo online. Aqui você encontrará nosso editorial da semana, notícias e o Roteiro de Célula.

Tema: Família

Série "Família resgatada"

Compartilhe:

Editorial

Todo o povo que estava no portão e os anciãos disseram: Somos testemunhas. E disseram a Boaz: Que o Senhor faça a esta mulher, que está entrando na sua família, como fez a Raquel e Lia, que edificaram a casa de Israel. E que você, Boaz, seja um homem poderoso em Efrata, e que o seu nome se torne famoso em Belém. Que, com os filhos que o Senhor lhe der dessa jovem, a sua casa seja como a de Perez, o filho que Tamar deu a Judá (Rute 4.11-12 – NAA).

O cenário era trágico: tendo se mudado para a terra de Moabe por causa da grande escassez, Noemi (doçura) ficou viúva de seu marido Elimeleque (Deus é Rei). Seus dois filhos Quiliom (fraqueza, que quebra à toa) e Malom (moléstia, doença), casados com as moabitas Orfa (costas) e Rute (amizade fiel) morreram também. Orfa retornou para sua família, enquanto Rute foi com Noemi para Israel. Em profunda tristeza, Noemi (doçura) pede para ser chamada de Mara (amargura). Do marido herdou a dívida, cuja garantia era a terra da família. Nesse contexto, Rute, por casualidade (Rt 2.3), conhece Boaz (forte) e gera um grande impacto nesse homem que faz de tudo para se casar com essa mulher. Assim, Deus abençoou o novo casal dando-lhe descendência, resgatando essa linda história. As palavras do povo (Rt 4.11-12) soam como proféticas da ação de Deus sobre a mulher, o homem e sua descendência.

A ação de Deus sobre a mulher (o Senhor faça a esta mulher) pode ser percebida ao longo de toda a sua história. Rute foi impactada pela doçura de sua sogra Noemi, mas não se deixou influenciar por sua amargura. Encorajada, saiu ao campo para colher espigas (Rt 2.2). Sua reputação espalhou-se entre o povo de Israel, levando Boaz a dizer: Já me contaram tudo o que você fez pela sua sogra, depois que você perdeu o marido (Rt 2.11a – NAA). Em todo o tempo, Rute continuou morando com a sua sogra (Rt 2.23) e fazendo tudo conforme o que a sua sogra lhe havia ordenado (Rt 3.6). A ação de Deus sobre seu coração fiel e submisso tornou-se uma ação de Deus sobre seu casamento e descendência, cumprindo-se a palavra de bênção que recebeu: O Senhor lhe pague pelo bem que você fez. Que você receba uma grande recompensa do Senhor, Deus de Israel, sob cujas asas você veio buscar refúgio (Rt 2.12).

A ação de Deus sobre o homem (que você, Boaz, seja um homem poderoso) foi poderosa, pois fez dele o resgatador da família (Rt 3.12). Para entender melhor, a lei assegurava que, no ano do jubileu, essas terras entregues pela dívida retornariam ao antigo proprietário. Mas Noemi somente poderia vender essas terras para quitar suas dívidas a um parente próximo. Sendo solteiro, Boaz deveria tomar Rute por esposa para que o primeiro filho do casal se tornasse herdeiro. Agindo assim, resgataria por completo a família à terra e à alegria. Foi o que aconteceu. Apesar de haver um outro parente mais próximo que poderia resgatá-las, Deus tinha preparado Boaz para redimir essa família. Não somente era homem abastado com condições de quitar as dívidas das viúvas, mas teve um olhar de amor e misericórdia. Após confirmar publicamente a desistência do outro parente (Rt 3.12; 4.4-6), Boaz pagou o preço, resgatou a terra, tomou Rute por esposa e tiveram um filho que foi a alegria renovada de Noemi. Todo o povo ficou feliz com a remissão dessas mulheres.

 A ação de Deus sobre a descendência (com os filhos que o Senhor lhe der) estendeu-se por muitas gerações nessa abençoada genealogia que incluiu o rei Davi, bisneto, e, muito adiante, Jesus. Isso mesmo, essa linda história de resgate aponta para a obra restauradora de Cristo. O primeiro parente não podia resgatar, assim como  a Lei jamais poderia nos resgatar. Boaz era varão valente e poderoso (Rt 2.1); Jesus tem todo poder e autoridade (Mt 28.18). Boaz era natural de Belém (Rt 2.4) da tribo e Judá; Jesus, também natural de Belém (Mt 2.1), tornou-se o Leão da tribo de Judá (Ap 5.5). O coração de Boaz foi cheio de compaixão pela moça pobre e sua sogra que precisavam de auxílio (Rt 2.8-15); Jesus moveu-se por íntima compaixão pelo seu povo (Mc 8.2). Boaz pagou o resgate com seus recursos (Rt 4.9); Jesus pagou com seu próprio sangue (1 Co 6.20). Boaz tornou-se remidor de Rute tomando-a como esposa (Rt 4.13); Jesus tornou a igreja sua própria noiva e esposa (Ap 21.2, 9; 22.17). A ação de Deus estendeu-se até nós nos dias de hoje.

Não importa quão devastada esteja nossa história familiar, Jesus é aquele que tem poder de resgatá-la em seu significado e propósito. Vamos deixar com que ele opere livremente dentro de nós para que não haja impedimentos de sua operação ao nosso redor.

Rodolfo Montosa

Missão Integral

Vida em Célula

Em outubro de 2020, minha filha Alice começou a piscar com o olho esquerdo. Ela ficava, às vezes, mais de trinta segundos com o olho esquerdo fechado. Levamos numa oftalmologista e suspeitava de estrabismo, pediu para consultar com o neurologista, mas também disse que poderia ser um estrabismo.

No dia 3 de dezembro, o olhinho dela começou a desviar para cima, no dia 4 as oftalmologistas (nesse período ela estava sendo acompanhada por três oftalmologistas) pediram para levar com urgência em um neurologista, e agendar um exame de ressonância do crânio, pois poderia ser algo mais grave.

Só Deus sabe o medo e o aperto no coração que estávamos sentindo, mas em todo momento sentíamos Deus nos sustentando e preparando tudo: consultas, exames, médicos com tanto carinho e cuidado com a Alice, nossa célula orando e intercedendo, nossos líderes (pastor Cilas e Zenaide) conosco em todo tempo, mesmo que distante pela covid, mas juntos em oração.

Nos cultos a palavra falava conosco diretamente e, em uma das palavras, Deus me falou que nós teríamos que esperar; em outra palavra disse que teríamos que ser fortes, corajosos, e não temer, porque Deus estava permitindo a tempestade, mas ele estava no barco conosco. O resultado da ressonância saiu e foi outro desespero. O exame apresentava algumas alterações: edema (inchaço) no nervo óptico, e uma possível lesão suspeita de glioma (um tipo de tumor).

O Senhor confundia o homem, porque a Alice tinha sintomas em um olho e o inchaço estava maior no outro olho. Vários neurologistas avaliaram o exame e não sabiam dizer o que estava acontecendo, suspeitavam de doenças genéticas mais graves, e resolveram encaminhá-la para um especialista em São Paulo e para uma oncologista no hospital do câncer de Londrina. Não sabíamos o que estava acontecendo, sentia que teríamos que passar por momentos difíceis, mas também sentia que Deus estava cuidando de tudo e em tudo. Nós orávamos e clamávamos pelo agir do Espírito Santo guiando cada procedimento.

Antes de irmos para São Paulo, o neuro passou um corticoide para a Alice tomar durante um mês, numa dosagem alta, e orávamos antes de cada dose que ela tinha que tomar para o Senhor abençoar e tirar o incômodo. Deus é tão maravilhoso, que a Alice melhorou muito após esse medicamento, estava mais animada, percebemos que tinha melhorado a dor e o incômodo dos olhinhos, pela graça de Deus.

Alice teve que repetir a ressonância mais duas vezes antes de darem o diagnóstico de glioma em nervos ópticos bilateral. Depois do diagnóstico, resolveram que o melhor e mais seguro, para evitar que ela perdesse a visão, seria começar com as quimioterapias. Foi um momento muito difícil, os medos e dúvidas, incerteza se era o melhor, se o diagnóstico estava correto, mas continuávamos orando, jejuando, fazendo pactos de oração nas Tardes de Esperança, pedindo a direção do Senhor.

Em abril de 2021, a Alice começou com as quimioterapias. Foram vários momentos difíceis, de angústia e sofrimento, mas nunca nos sentimos desesperados, víamos o cuidado de Deus em todo tempo nos sustentando. Em março de 2022, a Alice fez a última quimioterapia (um ano de quimioterapia). Louvado seja Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo por tudo. Fizeram muitos exames na Alice, ressonâncias, exames de sangue, tomografia, ecocardiograma, ultrassom, testes genéticos, e em tudo o Senhor abençoando que todas as suspeitas de doenças mais graves e raras foram dando negativas, bendito seja o nome Santo do Senhor.

Com tudo isso que aconteceu na vida da Alice, ela estava apresentando atraso moderado, quase grave no desenvolvimento. Não falava e suspeitavam até de autismo, porém, nós, mais uma vez, buscando a Deus e pedindo orações, fazendo pactos de oração nas Tardes de Esperança, e o Senhor, na sua infinita bondade, pela sua graça sem fim, tem abençoado cada dia mais o desenvolvimento da Alice. Desde que ela terminou as quimioterapias, começou a falar e tem se desenvolvido de maneira que tem surpreendido até a psicóloga, fonoterapeuta e professoras dela.

Deus é tão bom, não sabemos nem como agradecer por tantas bênçãos e pela misericórdia.  Não posso deixar de agradecer à igreja, à nossa célula, ao grupo de intercessão da igreja que, em todo tempo, estava orando pela Alice, aos nossos pastores, ao Pr. Rodolfo e Pra. Cibele, que além de pastora é a pediatra da Alice e, em cada consulta, nos acolhia, tranquilizava, dava força e orava. Gratidão a Deus por todos que intercederam e intercedem pela vida da Alice. Glorificamos a Deus pela vida e pela visão da Alice, ainda temos muitas lutas, um longo tempo de acompanhamento, exames e ressonâncias, mas cremos e agradecemos a Deus pela vitória.

Agradecemos a vida em célula, que tem nos ajudado e nos fortalecido nos momentos mais difíceis que passamos. Vale a pena participar de uma célula. Amém!

 Suzana, Willian e Alice Angelo


INTERCESSÃO MUNDIAL

Brasil

Não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo (Tito 3.5 – NVI). A misericórdia de Deus é a causa de não sermos consumidos. Vamos interceder por nosso país, com base nessa palavra, pedindo a Deus que perdoe nossos pecados e cure nossa nação. Que a igreja de Cristo no Brasil faça diferença, dando bom testemunho enquanto instituição, e como indivíduos.

Possuímos os mesmos hábitos e costumes de andar em santidade e temos a tradição de adorar e louvar o único e verdadeiro Deus e Senhor Jesus o Cristo. Como é feliz a nação que tem o Senhor como seu Deus (Salmos 33.12 – NVI). Que a vida de louvor e adoração dos filhos de Deus reflita em suas ações no dia a dia e que muitos sejam impactados e rendam-se a Cristo.

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura (Marcos 16.15). Que cada cristão brasileiro seja um pregador do evangelho de Jesus e que a colheita para o reino de Deus seja abundante. Ao Senhor Jesus, toda honra e glória!

Tome Nota!

Oficiais eleitos – Presbíteros: Emanuel Gois, Marcelo Leal. Diáconos e diaconisas: Alzira Souza Alves Mendes, Antonia Alves de Oliveira, Antonio Carlos Zago, Ataide Rodrigues Mendes, Camila de Souza Mendes  Xavier, Denise Cristina Kusaba Soares, Fabio Ravagnani Saito, Guilhermina Silva Jacob, Luiz Carlos Batista, Marcelo Vicente Soares, Maria Dolores de Oliveira, Neli Correia Oliveira Pereira, Roberto da Silva, Sandra Regina Alves Garcia, Silvia Garcia Jodar, Vera Lucia Rodrigues Gibovski.

Escola Bíblica Esperança – Em setembro terá início o módulo 3 da EBE. Cursos oferecidos: As três dimensões do casamento; Facilitadores de Ajuda Mútua; Louvor e adoração; Livros proféticos; Apocalipse; Noivos. Informações e inscrições aqui.

Curso Vida Nova – De 18 de setembro a 9 de outubro teremos o Curso Vida Nova, destinado a quem deseja ser membro da Igreja. Serão 4 aulas, aos domingos, das 10h às 11h30, no Espaço Esperança. Inscrições até 16 de setembro. Inscrições aqui.

Para a sua Célula

Princípio

Princípio da Cidadania (Romanos 13.1-7; 1 Pedro 2.13-17; Mateus 5.13-16) Comprometo a submeter-me às autoridades legitimamente constituídas sobre a minha vida e decido respeitá-las, honrá-las e orar por elas, sendo diligente no cumprimento de meus deveres como cidadão, refletindo, assim, o bom testemunho de Cristo.

Edificação na Célula

Texto Bíblico:

Rute 4.11-12

Interação:

Família, belíssimo tema para o mês de setembro, mês das flores. O livro de Rute retrata restauração familiar. Rute era nora de Noemi. Ambas viúvas, ficaram desamparadas. Noemi foi fiel e Deus agiu sobre ela, Boaz e sua descendência. Ao se casar com Boaz, Rute restaurou sua família materialmente e espiritualmente, cumprindo a profecia que apontou para Jesus como descendente da tribo de Judá, especificamente do rei Davi. Davi foi bisneto de Rute. Boaz predisse a obra restauradora de Cristo ao ter compaixão, pagar o preço pelo resgate de Rute, tornando-a sua noiva. Assim Jesus teve compaixão e pagou com seu próprio sangue o preço do nosso resgate, fazendo- nos noiva enquanto igreja do Senhor. Vamos refletir em nossa célula a respeito da ação restaurativa de Deus em nossa família. (Paulo Povedano)

Algumas perguntas para reflexão:

1- Em que momentos você identifica a ação de Deus sobre a sua família?
2- Em quais áreas ou situações sua família precisa ser resgatada?
3-Olhe para seus descendentes: “A ação de Deus estendeu-se até nós nos dias de hoje”. Qual sua preocupação ou cuidado você coloca diante de Deus neste dia, em relação aos seus descendentes?

Crianças:

As crianças fazem parte da célula, por isso é importante mantê-las engajadas e participando da comunhão, de forma criativa.

“Criação e ação” – Nesta semana as crianças estudarão a lição 10 do Material de Tema Único. Título: Provado e aprovado. Princípio: Deus prova a  minha fé. Versículo para decorar: O Senhor dará o que for preciso (Gênesis 22.14 – NTLH).

 

Continue lendo

Nossos Boletins

Olá! Nós somos uma igreja em células.

Menu
Institucional
Missão Integral
Voluntariado

Login no Basis