Pesquisar
Close this search box.

Boletim
Online

Author picture

Esse é o nosso informativo online. Aqui você encontrará nosso editorial da semana, notícias e o Roteiro de Célula.

Tema: Amar é interceder

Série "Amar é..."

Compartilhe:

Editorial

Portanto, se você me considera companheiro, receba-o como receberia a mim (Filemom 17 – NAA).

Segundo os dicionários, interceder é pedir a alguém em favor de outrem, advogar a causa de outra pessoa, mediar conflitos entre indivíduos. Como é bom saber que Jesus (Romanos 8.34; Hebreus 7.25; 1 João 2.1) e o Espírito Santo (Romanos 8.26) são nossos intercessores junto ao Pai. Nesta carta curta e explosiva, que poderia ser vista como um Manual do Intercessor, Paulo mostra, na prática, como amar é interceder.

De forma resumida, Filemom converteu-se a Cristo por intermédio de Paulo e tornou-se líder na igreja em Colossos. Seu escravo Onésimo o enganou e fugiu. Em algum momento, Onésimo converteu-se a Cristo, também por meio de Paulo. Nesse contexto, Paulo pediu que Filemom perdoasse Onésimo e o aceitasse como irmão na fé, não mais como escravo. Vamos conferir o ensino de Paulo sobre essa linguagem de amor pela intercessão.

Paulo ensina por quem interceder. Não qualquer um, mas por alguém que você acredita. No contexto da carta a Filemom, Paulo expressou seu apreço e sua confiança em Onésimo, apesar de ele ter sido um escravo fugitivo. Paulo testemunhou a profunda transformação espiritual que ocorreu em Onésimo desde que se converteu a Cristo. Daí nasceu a apreciação e o amor, tanto que escreveu: Eu o estou mandando (Onésimo) de volta a você (Filemom) — ele, quero dizer, o meu próprio coração. Eu queria conservá-lo comigo, para que ele me servisse em seu lugar nas algemas que carrego por causa do evangelho (Filemom 12-13 – NAA).

Paulo ensina a quem interceder. Não a qualquer um, mas a alguém respeitável e que o respeita. Paulo via Filemom como um irmão querido, exemplo de amor e fé, colaborador ativo no ministério. Paulo expressa sua gratidão a Deus sempre que menciona Filemom em suas orações (Filemom 4-5). Paulo elogiou Filemom por ser um encorajador e um consolador para os irmãos na fé (Filemom 7). Isso indica que Filemom não apenas demonstrava sua fé por meio de palavras, mas também por meio de ações amorosas e solidárias para com os outros na comunidade cristã.

Paulo ensina o que interceder. Não qualquer causa, mas aquela que é legítima aos olhos de Deus e compreensível aos olhos de Filemom. A questão da escravatura fazia parte da convenção social da época. Paulo não está condenando a escravidão, apesar de ela ser condenável. Paulo está pedindo especificamente que Onésimo não mais seja considerado escravo (Filemom 15-16). Não dá para falar de fidelidade para adúlteros, de honestidade para corruptos, de santidade para pecadores, de verdade para mentirosos, de liberdade para opressores. Só podia falar de liberdade para Filemom, pois este sabia o que significava ter sido feito livre em Cristo.

Paulo ensina como interceder. Não sem argumentos, nem sem autoridade. Paulo apresenta argumentos pessoais, espirituais, relacionais e práticos para persuadir Filemom a perdoar e receber Onésimo de volta com amor e generosidade. Como pessoais, Paulo coloca-se como fiador de Onésimo e credor de Filemom (Filemom 18-19). Como espirituais, Paulo enfatiza que todos nos tornamos iguais perante Cristo, irmãos no Senhor (Filemom 16). Como relacionais, Paulo usa por duas vezes a expressão grega koinonia (Filemom 6, 17) indicando aquele ser o caminho à plena comunhão. Como práticos, Paulo menciona que Onésimo, antes inútil, agora se tornou útil tanto para Paulo quanto para Filemom (Filemom 11-13).

Pessoalmente, tenho muita curiosidade em saber qual foi a resposta de Filemom. Mas, o que importa é: Qual seria a minha ou a sua resposta? Talvez hoje você esteja na posição de Onésimo, precisando de intercessão, ou de Filemom, recebendo intercessão, ou de Paulo, sendo intercessor. Em qualquer posição, lembre-se: amar é interceder.

Pr. Rodolfo Montosa

Missão Integral

Família Metz

Queridos amigos e irmãos, desde janeiro de 2023, quando iniciamos oficialmente nossas funções como missionários da AIM/MIAF (Africa Inland Mission), temos desbravado terrenos novos para nós e também para a própria organização.

Janeiro e fevereiro foram meses recheados de reuniões relacionadas à comunicação internacional da AIM/MIAF e muito, mas muito trabalho.

Em novembro de 2023, tivemos a oportunidade de reunir o time principal de comunicadores da organização em Londrina para alinhamento e dar início ao processo de branding interno e externo.

Um novo guia de estilo está sendo desenvolvido, mais robusto, mais informativo e detalhado; vários documentos estão em processo de escrita, como Melhores Práticas para diversas áreas da comunicação, Ética, Processos, entre outros; e um novo vídeo sobre quem somos também está no gatilho.

No Brasil, estamos em fase de conclusão de uma série de materiais de divulgação sobre o trabalho dos missionários da Miaf e materiais para mobilização de novos missionários.

No fim de janeiro deste ano, Laís embarcou para o Egito, para um retiro da diretoria da AIM. Em seguida, participou de um encontro com todos os líderes de equipes (tanto da área executiva da agência quanto do campo). Ao todo, 230 missionários passaram por treinamento na área de inovação. Foram 10 dias de muito aprendizado.

No fim de fevereiro, André teve a oportunidade de visitar a MISPA (Missão Priscila e Áquila), juntamente com Paulo Feniman, diretor executivo da MIAF, para ministrar um treinamento para novos missionários.

Em março, estivemos em Florianópolis para rever nossa família e amigos. Tivemos a oportunidade de apresentar o trabalho da AIM/MIAF em duas igrejas: Igreja do Campeche e Igreja Presbiteriana Independente do Estreito, igreja-mãe do André.

No início de abril, Laís embarcou para uma semana de reuniões da diretoria do escritório internacional da AIM/MIAF, em Bristol. Foram dias de conversas e tomadas de decisões sobre assuntos estratégicos para nossa agência. Estamos iniciando novas frentes de trabalho em 4 países do Noroeste da África (Mali, Níger, Senegal e Guiné), e boa parte dos esforços da área de comunicação terá essa perspectiva.

Ao longo dos últimos meses, temos participado de reuniões estratégicas nas áreas de mobilização e comunicação. Além disso, ministramos em mais uma semana de treinamento de candidatos de curto prazo.

Somos gratos por tudo o que Deus tem feito e ainda fará.

Obrigado a cada um de vocês que nos acompanham em nosso ministério por meio de orações e sustento.

André, Laís e Benjamin



INTERCESSÃO MUNDIAL

Mali

A insurreição extremista islâmica que devastou o Norte do Mali em 2012 continua a ter implicações para o pequeno número de cristãos no país. Igrejas foram incendiadas, muitos cristãos perderam suas casas e precisaram fugir da região.

Embora alguns cristãos e congregações tenham regressado sob proteção policial, ainda vivem sob ameaças de ataques. As pessoas que vivem em áreas controladas por jihadistas não têm acesso a água e terra para cultivo. Já os seguidores de Jesus que se envolvem em atividades evangelísticas no Norte do país são vulneráveis a violência, enquanto os missionários cristãos vivem sob a constante ameaça de rapto por jihadistas. Aqueles que abandonam o islã para seguir a Jesus podem enfrentar pressão e violência por parte dos familiares e da comunidade.

A violência jihadista está se alastrando para a região sul, e as instituições estão enfraquecendo rapidamente, favorecendo ainda mais os grupos radicais. A incapacidade das autoridades para conter a insurgência levou a protestos públicos e contribuiu para dois golpes militares (em 2020 e 2021). O país também se tornou um campo de batalha geopolítica entre o Ocidente e o Oriente, tornando os cristãos vulneráveis a perseguição por parte do governo.

Pedidos de oração

– Interceda para que o Senhor dê coragem e segurança para os cristãos que vivem em risco de ataques de extremistas islâmicos.
– Ore para que os cristãos perseguidos tenham uma experiência profunda do conforto e do cuidado de Deus.

Fonte: Missão Portas Abertas

Tome Nota!

Colônia Bíblica de Férias – De 17 a 19 de julho teremos a CBF para crianças de 3 a 11 anos, com o tema: Jesus é. Horário: 13h30 às 17h30. Local: Espaço Esperança. Inscrições na secretaria da Área de Apoio Infantil, de segunda a quinta, das 13h30 às 17h30 | aos domingos, nos horários dos cultos. Valor: R$ 120 (inscrevendo mais de uma criança, é possível parcelar).

Eleição de oficiais – Estão abertas as inscrições para candidatos a oficiais presbíteros, presbíteras, diáconos e diaconisas. Para participar da eleição é necessário ser membro da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil há, no mínimo, três anos, e membro da 1ª IPI de Londrina há, no mínimo, dois anos. Se você se sente chamado por Deus para servir como oficial da Igreja, apresente-se como candidato preenchendo a ficha de inscrição disponível na recepção do Espaço Esperança. As inscrições vão até o dia 14 de julho. A junta eleitoral é composta pelos presbíteros: Elaine El-Kadre, José Olympio Eger Monteiro e Rafael Carraro.

(amp) roça – No dia 6 de julho teremos o (amp)roça, na Chácara Marília (Mapil), a partir das 16h. Vamos ter barracas de salgados, doces, espetinho, refrigerantes, brincadeiras e muito mais. Será um tempo de confraternização. Toda renda das barracas será revertida para a construção do novo Espaço Esperança.

Almoço no dia 7 de julho – No dia 7 de julho, domingo, vamos nos reunir no Mapil, das 11h30 às 13h30, para um tempo de comunhão. Serviremos um delicioso Yakissoba (porção de 500g). O voucher, no valor de R$ 30, pode ser adquirido antecipadamente, nos horários dos cultos. Venha com sua família!

Para a sua Célula

Princípio

Princípio da Disponibilidade

(Isaías 6.8; Gálatas 6.2; 1 Pedro 4.8-11; 1 João 3.17)

Disponho-me a servir você, ouvindo com seriedade e ajudando, de maneira prática, nas situações em que houver necessidade, dentro das capacitações que tenho em Deus.

Edificação na Célula

Texto Bíblico:

Filemom 17

Interação:

Amar é interceder. Dentre as muitas expressões do amor, a intercessão é uma das mais belas. Ela demonstra generosidade, fragilidade e possibilidade. Na carta a Filemom, Paulo intercedeu pelo escravo fugitivo Onésimo, antes inútil, transgressor, desviado; agora, útil, reto em sua conduta e convertido em Cristo. Por isso, ao intercedermos, devemos nos ater por quem interceder, a quem, o que e como. Paulo acreditava e confiava em Onésimo, assim como respeitava e tinha o respeito de Filemon. Não intercedeu para confrontar o sistema escravagista, de modo a provocar tumulto. Antes, demonstrou que Filemon também era escravo antes de ser liberto por Jesus. Por fim, usou argumentos de autoridade, pessoais, espirituais, relacionais e práticos. Vamos refletir a respeito em nossa célula, por que amar é interceder.

Perguntas para interação:

  1. Compartilhe uma experiência em que você foi alvo da intercessão de alguém.
  2. Por quem você tem intercedido com frequência? Como tem sido?
  3. ⁠Vamos ter um momento de intercessão em nossa célula.

Crianças:

As crianças fazem parte da célula, por isso é importante mantê-las engajadas e participando da comunhão, de forma criativa.

“Junto ou conjunto” – Nesta semana, as crianças estudarão a lição 3 do Material de Tema Único. Título: Não, não e não! Princípio: Jesus ajuda sua equipe a dizer não ao pecado. Versículo para decorar: quero que façam o que é direito e certo e que se entreguem ao serviço do Senhor com toda a dedicação (1 Coríntios 7.35 – NTLH)

 

Olá! Nós somos uma igreja em células.

Menu
Institucional
Missão Integral
Voluntariado

Login no Basis