Pesquisar
Close this search box.

Minhas testemunhas

Compartilhe:

Mas vocês receberão poder, ao descer sobre vocês o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até os confins da terra (Atos 1.8 – NAA).

Estamos em alto mar, em meio à tempestade. Somos o “Corpus Christi”, um navio de resgate robusto, tecnológico, abastecido, com tripulação capacitada e bem treinada. Nossas rotinas de salvamento emergencial estão sempre em dia. Sem aviso, um oficial dispara o alarme. O navio Rose Mary pegou fogo e há pessoas lançadas ao mar, perdidas, em perigo iminente. Eles estão em 64 pessoas. Nós, 62. Temos 24 botes salva-vidas. É o suficiente! Vamos salvá-las! Somos chamados, vocacionados e treinados para isso!

Por que nos arriscaríamos na tempestade para salvar perdidos? Estamos seguros, diz o oficial do dia. Se estão nessa situação, não merecem ser salvos. Devem ter feito algo de errado. Voltemos ao treinamento teórico enquanto estamos aquecidos e confortáveis. O propósito dessa embarcação é nos manter assim. Não é! Qual o nome do navio? Corpo de Cristo, um navio de resgate. Embora ele nos mantenha seguros, o faz para que possamos alcançar os perdidos. Essa é a li­ção presente no curta metragem de Reinhard Bonnke, “Perdidos no Mar”.

Seis dos seus sessenta e quatro tripulantes partiram ao resgate do Rose Mary. Três botes, apenas três, dos vinte e quatro.

E nós? Iremos ao resgate ou nos contentaremos em estudar a respeito? Parece simples, mas, na prática, é fácil nos perdermos no conforto e segurança do navio. Envie anjos, outra pessoa, não é para mim, tenho vergonha, sou muito novo na fé, ou seja, é possível que discordemos do plano, mas Jesus sabe o que é melhor.

Jesus sabe o que é melhor!

Estamos no navio porque alguém saltou em meio à tormenta e nos salvou. Há muita gente perdida na sua rua, condomínio, trabalho, por onde você passa: valores, prioridades, vícios, compulsões, ambição, ganância, caminhos desalinhados em relação ao coração de Deus.

Jesus sabe o que é melhor e nos fez suas testemunhas. Recebemos o bote e estamos cruzando o mar de perdidos. Como podemos alcançá-los?

1. Ore pela pessoa: percebeu algo de errado, ore. Ouse ser tomado pelo espírito de intercessão.
2. Aproxime-se com empatia: procure sentir o que o outro sente. Tenha real interesse na vida dele como Jesus se aproximou da mulher samaritana.
3. Compartilhe experiências com Jesus: tudo é sobre Cristo, porque tudo se volta para ele e nele se soluciona. Quanto mais falarmos nele, melhor. Fale de como você era antes, e como é depois de Jesus.
4. Perceba as reações: o olhar, os pequenos movimentos do rosto, as palavras; interaja, seja intencional.
5. Ore com a pessoa: oração tem poder. As palavras fluem, vêm direto do coração do Pai, quebram grilhões e vão operando o que Deus quer fazer na vida dos perdidos. Que o espírito de ousadia e intrepidez repouse sobre a sua vida!
6. Convide-a para a célula: é o primeiro passo para um relacionamento forte e duradouro.
7. Inicie o discipulado: o bote está na água.

Nossa missão: Ser e fazer discípulos de Cristo. É para isso que estamos aqui! Não somos apenas um grupo de comunhão e fortalecimento. Vamos avançar e ter a sensibilidade de olhar para as pessoas que o Senhor já colocou diante dos nossos olhos.

Vamos lançar os botes! Jesus está conosco!

Por Paulo Povedano

Confira mais fotos aqui.

Continue lendo

Mais Posts

Blog
Comunicação IPILON

Amar é abrigar

Então, lhe veio a palavra do Senhor, dizendo: Dispõe-te, e vai a Sarepta, que pertence a Sidom, e demora-te ali, onde ordenei a uma mulher

Leia Mais »
Blog
Comunicação IPILON

Amar é consolar

Porque, quando chegamos à Macedônia, não tivemos nenhum alívio. Pelo contrário, em tudo fomos atribulados: lutas por fora, temores por dentro. Porém Deus, que consola

Leia Mais »
Notícias
Comunicação IPILON

Jantar do dia dos namorados

Neste dia 12 de junho, dia dos namorados, aconteceu o jantar em prol da construção do nosso novo Espaço Esperança. Tudo muito bem organizado pelas

Leia Mais »

Olá! Nós somos uma igreja em células.

Menu
Institucional
Missão Integral
Voluntariado

Login no Basis