Pesquisar
Close this search box.

Amor calibrado

Compartilhe:

Um dos mestres da lei estava ali ouvindo a discussão. Ao perceber que Jesus tinha respondido bem, perguntou: “De todos os mandamentos, qual é o mais importante?”. Jesus respondeu: “O mandamento mais importante é este: ‘Ouça, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de toda a sua mente e de todas as suas forças’ (Marcos 12.28-30 – NVT).

O planeta Terra é um ímã gigante que produz campo magnético. Isso possibilita a existência das bússolas, utilizadas para localização no espaço. Acontece que a bússola pode descalibrar e sua agulha perder o norte. É necessário recalibrá-la constantemente. Nosso coração é como uma bússola em busca constante do norte magnético do amor que nos move na direção de Deus. O pecado representa outras atrações magnéticas que descalibram nossa bússola. Jesus é o perfeito amor calibrado e a referência segura para calibrarmos nossa bússola interna. Daí a importância de deixarmos suas palavras influenciarem por completo nossa vida.   

Jesus aponta elementos que influem nosso amor a Deus: coração, alma, mente, forças. Tudo em conexão simultânea e interdependente, afetando um ao outro nas diferentes direções. Podemos recorrer a quatro personagens bíblicos para entender como calibrar o amor a partir de cada elemento.

Nossas forças representam nossos hábitos, aquilo que fazemos. O profeta Daniel e seus amigos crentes aprenderam controlar seus “apetites” (Daniel 1.12) e receberam de Deus conhecimento e inteligência, além de discernimento para interpretar sonhos e visões. Daniel tinha o hábito de orar três vezes ao dia colocando-se de joelhos em seu quarto (Daniel 6.10) e jejuar diante de grandes lutas (Daniel 10.3). O anseio em obedecer a Deus era maior que o próprio desejo de ser liberto da fornalha (Daniel 3.17-18) ou da cova dos leões (Daniel 6.22). Daniel e seus amigos mostram que equilíbrio nos “apetites” que inclua jejum e oração calibra nossas forças.

Nossa mente representa nossos pensamentos, aquilo que entendemos. O apóstolo Paulo enfatizou a importância de não vivermos conforme os padrões deste mundo, mas deixarmos que Deus nos transforme pela renovação da mente, para que possamos experimentar qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12.2). Ele ensinou assim: tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o pensamento de vocês (Filipenses 4.8 – NAA). Paulo mostra que a Palavra calibra a mente.

Nosso coração representa nossos anseios, aquilo que desejamos no mais profundo. O rei Davi foi considerado o homem segundo o coração de Deus (Atos 13.22). Quando Deus o escolheu, disse ao profeta Samuel: Não olhe para a sua aparência nem para a sua altura, porque eu o rejeitei. Porque o Senhor não vê como o ser humano vê. O ser humano vê o exterior, porém o Senhor vê o coração (1 Samuel 16.7 – NAA). Os salmos de Davi refletem seu maior anseio, como quando declarou uma coisa peço ao Senhor e a buscarei: que eu possa morar na Casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo (Salmos 27.4 – NAA). Quando seu coração se descalibrou pelo pecado, arrependeu-se e pediu: cria em mim, ó Deus, um coração puro (Salmos 51.10). Davi mostra que a adoração calibra o coração.

Nossa alma representa nossos sentimentos, aquilo que percebemos com as emoções. A Igreja em Atos, cheia do Espírito Santo, entendeu o poder da convivência da família da fé, perseverando diariamente unânimes no templo e partindo o pão de casa em casa, com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo (Atos 2.42-47). Era uma multidão que tinha um só coração e uma só alma e aprenderam o poderoso caminho da generosidade (Atos 4.32-35). A Igreja em Atos mostra que a comunhão calibra a alma.

Quais são seus hábitos, pensamentos, anseios e sentimentos que aumentam ou diminuem seu amor por Deus? Jejum e oração, a Palavra, adoração e comunhão com o povo de Deus são ferramentas para calibrar nosso ser para que nossa bússola do amor aponte para o norte que é Jesus.

Pr. Rodolfo Montosa

Continue lendo

Mais Posts

Notícias
Comunicação IPILON

Somos 50 mil!

Ontem foi dia de alegria! Preparamos uma festa para comemorar os 50 mil seguidores em nosso canal no YouTube. Faltava pouco para bater essa marca,

Leia Mais »
Agenda
Comunicação IPILON

Vamos orar e jejuar!

Promessas é o tema da nossa nova campanha de jejum e oração. E para a largada desse lindo movimento, nos encontraremos para um grande culto

Leia Mais »
Blog
Comunicação IPILON

Promessa de companhia

Não tenha medo, pois estou com você; não desanime, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; com minha vitoriosa mão direita

Leia Mais »

Olá! Nós somos uma igreja em células.

Menu
Institucional
Missão Integral
Voluntariado

Login no Basis